Beth Goulart diz que reza por parente que passou Covid-19 para Nicette Bruno

Beth Goulart, filha de Nicette Bruno, tem propagado nas redes sociais virtudes e sentimentos, como paciência, fé, amor, alegria, solidariedade e perdão nas redes sociais. Ela provou que o discurso não é da boca para fora

Resumo da Notícia

  • Beth Goulart, filha de Nicette Bruno, tem propagado nas redes sociais virtudes e sentimentos, como paciência, fé, amor, alegria, solidariedade e perdão nas redes sociais
  • Ela comentou que reza pelo parente que passou a Covid-19 para a mãe
  • Nicette Bruno vinha se mantendo em quarentena rígida em sua casa no mesmo condomínio onde mora a filha

Beth Goulart, filha de Nicette Bruno, tem propagado nas redes sociais virtudes e sentimentos, como paciência, fé, amor, alegria, solidariedade, perdão… Numa prova de que nada disso adianta se for da boca para fora, ela faz questão de ressaltar sua compaixão pela pessoa que infectou Nicette Bruno com o novo coronavírus.

-Publicidade-

“Ninguém fez isso por querer. A gente sabe que cada vez mais todo mundo tem que ter consciência de evitar determinadas coisas que possam causar o contágio. Como foi no caso da mamãe. Talvez essa pessoa não tenha tido o devido cuidado. E acho que hoje temos que ter esse cuidado. Mas não dá para julgar o outro. Não somos nós que vamos fazer isso. Tem um olhar superior, que sabe o porquê de tudo. Nós temos é que ter uma certa compaixão também por essa pessoa, porque não deve ser fácil pra ela. Então precisa da nossa oração e de fortalecimento. Se Deus permitiu, quem somos nós pra achar qualquer coisa?”, disse Beth.

Beth Goulart e Nicette Bruno (Foto: Reprodução)

Nicette Bruno vinha se mantendo em quarentena rígida em sua casa no mesmo condomínio onde mora a filha. Durante dez meses, ficou bem protegida. O biógrafo, Cacau Hygino, contou ao portal Extra que passou a fazer as entrevistas para o livro por vídeos.

-Publicidade-

“Quando a pandemia começou a apertar, eu parei de frequentar a casa dela, e Beth filmava as respostas de Nicette pra mim. Ainda não mandei para editora porque vou fazer um último capítulo contando sobre a morte”.

Beth ainda ressaltou que a mãe ficou numa espécie de redoma, mas não se sentia solitária: “Ela não estava sozinha, porque tinha alguns empregados que moravam na casa com ela e que estavam lá. Eu também ia todo dia vê-la, né? De máscara, ficava longe, sempre tomando cuidado… Mas, enfim, quando menos se espera…”.

-Publicidade-