Beth Goulart vai lançar livro que estava escrevendo com a mãe, Nicette Bruno, sobre amor, arte e vida

Em uma live feita no Instagram, a atriz contou que está finalizando o livro Viver com Arte, que estava escrevendo com a mãe: “O livro será basicamente de ensinamentos pessoais”

Nicette Bruno faleceu aos 87 anos por complicações da Covid-19, na manhã de domingo, 20 de dezembro.

-Publicidade-

Nesta quarta-feira (23), Beth Goulart, filha do meio da atriz, participou da live Ser Artista, comandada por Marcus Montenegro, autor do livro de mesmo nome.

(Foto: Reprodução)

No bate-papo, Beth contou que está finalizando o livro Viver com Arte, que estava escrevendo com a mãe: “O livro será basicamente de ensinamentos pessoais. Como eram as nossas palestras, que eu praticamente dava os temas e mamãe conduzia bravamente, o livro será assim também. Começará com o tema da superação, com a morte de papai [o ator Paulo Goulart, que morreu em 2014, aos 81 anos, de câncer].

Beth explicou como o livro começou a ser feito e da parceria entre as duas. “Foi incrível esse livro, porque começamos a desenvolver isso… ‘como a gente vai escrever em duas um livro só?’. Eu gosto mais de escrever e mamãe gostava de falar. Eu vou criar esse livro como uma voz única, uma grande narradora, condutora dos temas e das ideias. Eu começava a desenvolver o tema, a ideia, e eu passava a bola pra mamãe, que era quando ela dava as opiniões dela sempre maravilhosas, os ensinamentos dela sempre maravilhosos. O livro seguia um pouco isso”, explicou.

(Foto: reprodução / Instagram @nicettebruno)

“A gente falava de superação, da morte do papai, então o livro começa com a morte do papai. Eu escrevo sobre isso, mamãe gravava, e foi indo. Como começamos a nossa carreira artística, como ela começou, como eu comecei e vamos contando sobre os temas básicos, os valores da vida, importância de saber perdoar, agradecer”, revelou Beth.

A atriz contou que a relação familiar sempre foi a raiz que uniu todos eles, inclusive na arte. “Nascemos em um berço extremamente amoroso. Papai e mamãe eram almas gêmeas, praticamente. Talvez seja, realmente, um caso de almas gêmeas. Era um amor tão intenso, uma cumplicidade, um entendimento de almas. E nós fomos frutos desse encontro de almas. Nascemos em uma família em que o amor era o nosso dia a dia. O amor, a alegria, a cumplicidade e depois a arte. Nascemos em um espaço muito propício à arte se desenvolver. Encontramos ali um terreno fértil pra cada um desenvolver a sua semente.”

Assista à live completa: