Boa ação! Jovem conserta celulares usados e doa para crianças sem acesso às aulas online

Ele percebeu que boa parte dos estudantes não conseguiam frequentar as aulas pela falta dos aparelhos necessários e decidiu fazer algo para ajudar

Resumo da Notícia

  • Jovem conserta celulares usados e doa para crianças sem acesso às aulas online
  • Ele percebeu que boa parte dos estudantes não conseguiam frequentar as aulas pela falta dos aparelhos necessários e decidiu fazer algo para ajudar
  • A motivação veio depois que viu algumas palestras na escola onde estuda
  • Hoje, o projeto já conta com 8 colaboradores

Muitas crianças estão enfrentando dificuldades durante as aulas online por não terem os aparelhos necessários para conseguir acompanhar o ensino. Vendo essa realidade, um jovem chileno de 17 anos decidiu criar uma iniciativa para ajudar essas crianças. O garoto fez a si mesmo a seguinte pergunta: o que podemos fazer com nossos celulares antigos, que não usamos mais? A partir daí decidiu pegar alguns aparelhos velhos para tentar consertá-los. O resultado foi uma grande oficina que doa celulares para crianças que não tem recursos para acompanhar as aulas online.

-Publicidade-
Jovem conserta celulares usados e doa para crianças sem acesso às aulas online (Foto: reprodução Instagram)

Tiberio Malaiu está no último ano do ensino médio e está usando toda a energia extra que tem para o projeto que ele mesmo criou, chamado Collecting Dust (‘Coletando Poeira’, em tradução livre). A ideia para a iniciativa veio depois que ele participou de oficinas para alunos sem acesso a tecnologias, como celular e internet. Ao ver essa realidade, diferente da dele, o jovem decidiu fazer algo para ajudar e desenvolveu o projeto. “Percebi que havia uma grande carência tecnológica e que muitos não conseguiam se conectar, porque não tinham acesso à internet ou ao celular”, contou Tiberio ao jornal local UPSCL.

A ideia começou apenas com ele e aos poucos foi crescendo. Hoje,  Tiberio conta com um grupo de oito pessoas, entre amigos e desconhecidos que se ofereceram para ajudar. Mas tudo isso só foi possível graças a ajuda de tantas pessoas. “Tive muito apoio da minha família”, ressaltou ele.

Atualmente Tiberio e a equipe recebem celulares toda semana. A única exigência deles  é que os aparelhos consigam rodar aplicativos que os estudantes precisam para as aulas, como o Google Classroom, Zoom, Google Meet, WhatsApp etc. Na primeira vez que fez a doação, Tiberio quem entrou em contato com uma escola oferecendo a ajuda. Hoje, as escolas que vão atrás dele, sabendo da iniciativa. O objetivo dele é ajudar o maior número de pessoas o possível e já deixou claro: não pretende parar com o fim da pandemia.