Boa notícia! Leite materno pode ser um tratamento para coronavírus e estudo explica o motivo

Com um pesquisa, feita em parceria com diversas universidades, foi possível encontrar uma proteína na substância que age como um fortalecimento imunológico contra a doença

Resumo da Notícia

  • O leite materno pode ser uma das alternativas de tratamento para o coronavírus
  • A pesquisa apresentou resultados promissores
  • Foram comparadas amostras de leite materno de mulheres que tiveram ou não a doença
  • Ele pode evitar a degradação proteica do tecido respiratório
O leite materno pode ter possíveis anticorpos em mulheres que já tiveram coronavírus (Foto: reprodução / Getty Images)

A partir de um estudo realizado pelo Departamento de Infectologia da Escola de Medicina Icahn do Monte Sinai, em Nova York, e do Departamento de Psicologia da Universidade da Califórnia em Merced, o leite materno de mulheres que foram contaminadas pelo novo coronavírus pode estar fortalecido imunologicamente contra a doença.

-Publicidade-

Vale lembrar que a pesquisa ainda não foi revisada pela comunidade científica, mas mostrou bons resultados sobre o caso. Com isso, tem-se a esperança de que existam anticorpos para o coronavírus no leite materno, sendo uma alternativa de terapia para a doença.

-Publicidade-

De acordo com informações do jornal O Globo, era esperado que o leite de mulheres infectadas contasse com os anticorpos, principalmente o colostro. No caso desse leite, produzido no início da amamentação, ele é rico em imunoglobinas G, que tem a função de proteger o organismo contra os vírus e bactérias presentes na substância. Sabe-se que a imunoglobina G representa apenas 2% dos anticorpos e ainda é desconhecido a quantidade necessária para ser um ativo contra o covid-19.

Os especialistas explicam que ele pode ser responsável por evitar a degradação proteica do tecido respiratório (Foto: Getty Images)

Para alcançar os resultados, os pesquisadores receberam 15 amostras de leite materno de mulheres que já haviam sido curadas da doença, e compararam com as que nunca tiveram coronavírus. Das mães infectadas, 80% apresentou reação de Imunoglobina A (IgA), e 100% registrou a presença de anticorpos. Com isso, é possível sugerir que a IgA pertence à subclasse Imunoglobina A secretória.

Os especialistas comentaram ainda sobre a importância do caráter secretório do anticorpo, pois ele é responsável por evitar a degradação proteica do tecido respiratório. Com isso, o leite humano pode-se tornar um possível tratamento para o novo coronavírus.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-