Brasil é o único país que ultrapassou 200 vítimas grávidas ou puerpérias por covid-19

Os números são do Sivep-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe) e estão sendo compilados por um grupo de obstetras e enfermeiras de 12 universidades e instituições públicas

Resumo da Notícia

  • Brasil se torna o único país com mais de 200 mortes de gestantes ou puerpérias por coronavírus
  • Os números são resultado de um estudo feito em conjunto
  • Segundo o estudo, 22,6% das mulheres que morreram no Brasil não tiveram acesso a um leito de UTI
  • Veja mais informações

O Brasil – infelizmente – bateu mais um recorde relacionado ao coronavírus. De acordo com o que foi publicado pelo jornal Folha de S. Paulo, o país foi o que mais registrou mortes de mulheres durante a gestação ou no pós-parto após o diagnóstico de Covid-19. Pelo menos 201 mulheres nessas circunstâncias foram vítimas da doença. Ao todo, são cerca de 1.860 casos notificados nesse grupo.

-Publicidade-
Brasil é o único país que ultrapassou 200 vítimas grávidas ou puerpérias por covid-19 (Foto: Getty Images)

Os números são do Sivep-Gripe (Sistema de Informação da Vigilância Epidemiológica da Gripe) e estão sendo compilados por um grupo de obstetras e enfermeiras de 12 universidades e instituições públicas, entre elas, Fiocruz , USP, Unicamp e Unesp, que acompanha a mortalidade materna durante a pandemia de Covid-19.

Segundo o estudo, 22,6% das mulheres que morreram no Brasil não tiveram acesso a um leito de UTI e 36% não chegaram a ser intubadas. “Há uma falha gigantesca na assistência. Com a pandemia de Covid-19, a rede de saúde está mais desarticulada”, disse a obstetra Melania Amorim, uma das pesquisadoras, à Folha.

-Publicidade-

O número de óbitos desse grupo preocupa, afinal, morte materna é um evento sentinela, ou seja, indicador da qualidade de saúde oferecida num país. Os Estados Unidos, por exemplo, que hoje lideram os óbitos gerais pela doença, tinham registrado 35 mortes de gestantes e puérperas até o último dia 21 de julho.

O número de mortes durante a pandemia ainda é parcial, mas os pesquisadores já estimam um salto sem precedentes na taxa de mortalidade materna brasileira de 2020. A média anual do Brasil até o momento é de cerca de 60 mortes de mulheres grávidas ou no pós-parto por 100 mil nascimentos de bebês vivos, uma taxa que já  considerada alta quando comparada à outros países como Argentina e Portugal, que têm 8 e 39 mortes por 100 mil, respectivamente.