Brasileira acusa membro da família real por não reconhecer paternidade de filha

A mulher de 34 anos, alega que conheceu Albert II, em uma viagem que fez a Europa em 2004. Além de dizer que não sabia que ele era família real, afirma que ele nunca assumiu a filha.

Resumo da Notícia

  • Mulher de 34 anos entra na justiça contra príncipe de Mônaco
  • A brasileira afirma que ele nunca assumiu a paternidade
  • Ela diz que não sabia que ele era membro da família real quando conheceu
Mulher entra na justiça contra príncipe de Mônaco por não assumir paternidade (Foto: Shutterstock)

Membros da família real, fazem de tudo para não se envolver em qualquer tipo de polêmica ou problemas que são levados a público. Mas para o príncipe de Mônaco, Albert II de 62 anos, a história de que ele não abandonou mulher e filha brasileiras, veio a tona e está causando muita curiosidade por parte da mídia.

-Publicidade-

Tudo começou quando uma brasileira de 34 anos, entrou na justiça contra o príncipe, alegando que ele nunca assumiu a paternidade da filha ilegítima. Ela que afirma que o caso aconteceu em uma viagem que fez a Europa, com apenas 19 anos, disse que não sabia que ele fazia parte da família real. De acordo com informações do Extra, atualmente ela vive com a filha na Itália e fez a acusação no Tribunal de Milão.

“Minha cliente está vivendo um momento muito delicado e importante para a vida de sua filha, que, ao fazer 15 anos, pediu para a mãe revelar quem era seu pai natural. E ela decidiu cumprir seu desejo”, contou o advogado Erich Grimaldi à Ansa. Albert que é príncipe soberano desde 2005, é casado com Charlene Wittstock, com quem tem filhos gêmeos, Jacques e Gabriella. Se a acusação for verdadeira, a menina pode se tornar mais uma na disputa do trono.

-Publicidade-

-Publicidade-