Brasileira faz apelo para tirar família da Ucrânia após ataques: “Estamos em desespero”

Luciana Cosin Uzhyk mora em Atibaia, interior de São Paulo, e fala sobre a preocupação com os sogros ucranianos, que estão em Kharkiv

Resumo da Notícia

  • Famílias brasileiras que moram na Ucrânia estão tentando deixar o país
  • Luciana Cosin Uzhyk mora em Atibaia, interior de São Paulo, e fala sobre a preocupação com os sogros ucranianos, que estão em Kharkiv, que fica a 30 quilômetros da fronteira da Ucrânia com a Rússia
  • A embaixada do Brasil em Kiev divulgou uma nota com instruções para os cidadãos brasileiros que vivem na Ucrânia

Horas após o presidente russo Vladimir Putin autorizar uma invasão na Ucrânia, milhares de famílias começaram a tentar deixar o país.

-Publicidade-
Habitantes de Kiev deixam a cidade após ataques (Foto: Pierre Crom/Getty Images)

Uma dessas famílias é a da brasileira Luciana Cosin Uzhyk, de 37 anos, mãe de Nicollas e Andrey, que mora em Atibaia, interior de São Paulo.

Anton, Nicollas, Iryna, Andrey e Luciana durante viagem para Ucrânia, em 2017 (Foto: Arquivo pessoal)

“Sou casada com um ucraniano, Anton Uzhyk, e moramos no Brasil. Meus sogros, Iryna Uzhyk e Sergey Uzhyk, moram em Kharkiv, que fica a 30 quilômetros da fronteira da Ucrânia com a Rússia. Conversamos com eles por volta das 10h45 e minha sogra relatou barulho de bombas e de ataques”, conta Luciana.

Sergey Uzhyk no Parque Central de Karkov (Foto: Arquivo pessoal)

Na capital da Ucrânia, Kievev, foram registradas longas filas de carros nesta manhã em estradas e o espaço aéreo para voos civis foi fechado. “Não tem como sair do país agora por meio aéreo, nem terrestre, trem, estrada, nem nada. Os trens estão fechados, as estradas estão começando a ficar com barricadas, para não conseguirem sair. A gente está aqui em desespero tentando uma alternativa para tirar eles de lá”, desabafa Luciana.

Estrutura danificada após ataques em Kiev, na Ucrânia (Foto: Chris McGrath/Getty Images)

Brasileiros na Ucrânia

Na manhã desta quinta-feira, 24 de fevereiro, a embaixada do Brasil em Kiev, divulgou uma nota com instruções para os cidadãos brasileiros que vivem na Ucrânia: “A Embaixada do Brasil em Kiev recomenda que brasileiros que estejam em condições de deslocar-se por meios próprios para outros países ao oeste da Ucrânia que o façam tão logo possível, após informarem-se sobre a situação de segurança local”.

Pessoas esperam ônibus em uma estação enquanto tentam evacuar a cidade de Kiev, na Ucrânia (Foto: Pierre Crom/Getty Images)

“Estou tentando agora entrar em contato com a embaixada brasileira na Ucrânia, porque eles anunciaram que vão retirar os brasileiros, mas minha sogra e meu sogro são ucranianos, então eu quero conseguir um contato e ver se eles incluem minha sogra e meu sogro, porque eles são ucranianos mas têm família brasileira. Eu tenho dois filhos, netos deles, que estão desesperados, uma criança de 8 anos e uma de 5. Estamos tentando todas as maneiras possíveis”, finaliza Luciana.

Segundo o Itamaraty, há atualmente cerca de 500 cidadãos brasileiros na Ucrânia. Em nota, o Ministério das Relações Exteriores disse ainda que a embaixada brasileira em Kiev vem renovando o cadastramento dos brasileiros no país e transmitido orientações pelos portais online.

“Caso necessitem de auxílio para deixar a Ucrânia, devem seguir as orientações da embaixada e, no caso dos residentes no leste, deslocar-se para Kiev assim que as condições de segurança o permitam”, diz o comunicado.

As autoridades brasileiras disponibilizaram um número de plantão consular para casos de emergência de brasileiros na Ucrânia (+55 61 98260-0610).