Brasileiro é o 1º a receber tratamento de 8 milhões de reais contra câncer no mundo: “Quero viver”

Sebastião tem 37 anos e atualmente está internado em Ohio, para participar de um estudo para terapia individualizado contra a leucemia linfoide aguda, se tornando a primeira pessoa no mundo a receber o tratamento

Resumo da Notícia

  • Um brasileiro com leucemia linfoide aguda foi chamado para fazer parte de um estudo em busca de tratamento contra o câncer
  • Após quimioterapias e transplante que não obtiveram sucesso, ele aceitou participar
  • Ele se tornou a primeira pessoa no mundo a receber essa terapia individualizada

Sebastião Dias Braga Neto, de 37 anos, é brasileiro e a primeira pessoa no mundo a receber o tratamento individualizado contra o câncer. Atualmente ele está internado no hospital James Cancer Hospital, em Ohio, nos Estados Unidos. O tratamento chamado CAR-T Cell triplo  é considerado uma nova esperança para os médicos.

-Publicidade-
Sebastião foi para Ohio para participar de novo estudo para tratamento contra o câncer
Sebastião foi para Ohio para participar de novo estudo para tratamento contra o câncer (Foto: Reprodução/ O Globo)

O cineasta e produtor também conhecido apenas como Tião contou ao O Globo que descobriu estar com câncer pouco tempo antes da pandemia se iniciar, em março de 2020. Ele começou a sentir fortes dores nas pernas e decidiu fazer exames para entender o que estava acontecendo. O diagnóstico saiu no primeiro resultado: “Meu leucócitos estavam alteradíssimos. O normal é em torno de 10 mil, o meu exame mostrava uma contagem acima dos 114 mil”. Em seguida, ele descobriu estar com  leucemia mieloide crônica (LMC), que é um câncer conhecido pela multiplicação de glóbulos brancos anormais e atinge a medula óssea. 

Tião foi internado e começou a quimioterapia, além de precisar de um transplante de medula óssea. Felizmente, uma doadora foi encontrada rapidamente: “Graças a Deus, minha mãe fez o exame, deu 50% de compatibilidade e foi escolhida como minha doadora”. Contudo, o transplante de medula para o filho não obteve sucesso já que quase um ano após ele, Tião começou a sentir o olho inchado, um sintoma claro da volta da doença. Ele havia voltado com um tipo bem mais forte, a leucemia linfoide aguda. Dessa vez, Tião estava sem recursos a recorrer e também não poderia fazer um novo transplante, o que fez com que a expectativa de vida se tornasse de apenas alguns meses.

O brasileiro aceitou participar do estudo e diz que está animado para voltar a viver como antigamente
O brasileiro aceitou participar do estudo e diz que está animado para voltar a viver como antigamente (Foto: Reprodução/ O Globo)

Uma amiga de Tião conhecia Vanderson Rocha, que é coordenador de terapia celular do Hospital Vila Nova Star e também responsável pelas pesquisas com as células CAR-T Cell no Hospital das Clínicas em São Paulo. Rocha ligou para Marcos de Lima, que é chefe do departamento de hematologia e diretor do programa de transplantes de medula óssea e terapia celular em Ohio, além de ser referência em CAR-T Cell. Lima estava em busca de pacientes com o mesmo diagnóstico de Tião para poderem participar do primeiro estudo clínico de CAR-T Cell triplo no mundo. Tião aceitou e foi para Ohio para participar do estudo.

CAR-T Cell tem preço altíssimo. Somente a produção das células comercialmente, sem contar a internação e os medicamentos, fica em torno de R$2 milhões. Estima-se que o pacote completo fique entre R$ 6 a 8 milhões. Como Tião está participando de um estudo clínico, ele não está pagando pelo tratamento.

Marcos de Lima disse que admira Tião por “arriscar um tratamento que nunca ninguém tomou antes, pois sabe que é uma esperança para ele e outras milhares de vidas”. Fora isso, Tião contou que se sente privilegiado e está louco para voltar como era antigamente: “A vida é muito cara e a gente não tem tempo para perder […] Estou louco para viver novamente. Viajar, trabalhar, abraçar as pessoas, dizer que eu as amo. Quero apenas viver”.