Cientista brasileiro descobre 301 novos planetas com a NASA

O cientista Pedro Gerum, de Jundiaí, foi o único brasileiro a participar do projeto e fez parte dos 13 pesquisadores selecionados pela Agência Espacial norte-americana

Resumo da Notícia

  • Pedro Gerum, um cientista de Jundiaí, integrou uma equipe de pesquisa da NASA que descobriu novos planetas;
  • A descoberta realizada pelo brasileiro e sua equipe foi feita por meio um programa de inteligência artificial, com o apoio de imagens de satélite;
  • O cientista contou estar muito feliz com a participação no projeto da agência espacial norte-americana.

Pedro Brum, um professor universitário e cientista de Jundiaí, fez parte da equipe de pesquisadores de um projeto da NASA que descobriu 301 novos exoplanetas, que são planetas fora do Sistema Solar, o que ajuda a identificar novas formas de vida no Universo.

-Publicidade-

Os cientistas contratados fazem parte de um programa de estágio da NASA desde 2018, mas apenas este ano as buscas começaram a dar resultados. Por orbitarem uma estrela que não seja o Sol, encontrar exoplanetas com precisão se torna ainda mais difícil.

Pedro Gerum explicou que a inteligência artificial poderá ser usada para outras descobertas na NASA
Pedro Gerum explicou que o programa de inteligência artificial poderá ser usada para outras descobertas na NASA (Foto: Reprodução G1/ Arquivo pessoal)

Um programa de inteligência artificial chamado “Exominer” é utilizado nos estudos do grupo da Agência Espacial norte-americana. Sua função é diferenciar novos planetas de outras informações espaciais que podem sinalizar errado a existência de um novo planeta.

Pedro conta que imagens de satélite servem de apoio nas avaliações para que o grupo de cientistas não perca nenhum detalhe. Em entrevista ao G1, ele conta estar muito feliz por ter feito parte desse estudo: “Foi muito incrível poder fazer parte desse time de três cientistas fantásticos, aprendi muito com eles. Eu acho que foi uma experiência única e muito válida, fiquei muito feliz”, disse.

A participação do brasileiro na equipe da Nasa já se encerrou e, agora, trabalha como professor universitário em Cleveland, nos Estados Unidos. Segundo ele, voltar a morar em Jundiaí ainda não está nos planos. “Quero expandir ainda mais os conhecimentos”, conclui.