Brincar é essencial para o desenvolvimento do seu filho: saiba quais brincadeiras fazer em cada fase

Valorizar os momentos de diversão e incentivar as brincadeiras é um dos principais caminhos para uma infância plena

Resumo da Notícia

  • Para sorrir e brincar, qualquer lugar é lugar;
  • Pois é, quando falamos do desenvolvimento do seu filho, brincar é coisa séria (e necessária)!
  • Isso porque valorizar os momentos de diversão e incentivar as brincadeiras é um dos principais caminhos para uma infância plena.

Você já parou para pensar que para sorrir e brincar, qualquer lugar é lugar? Pois é, quando falamos do desenvolvimento do seu filho, brincar é coisa séria (e necessária)! Isso porque valorizar os momentos de diversão e incentivar as brincadeiras é um dos principais caminhos para uma infância plena.

-Publicidade-

E nós sabemos, não é fácil cuidar de uma criança. O manifesto do Ninhos do Brasil fala muito sobre esse momento de aprendizado dos pais: “Ninguém nasce sabendo cuidar de uma criança. A gente também corre, cai, chora, levanta, tenta de novo. Igualzinho a eles. E está tudo bem. Até rir de tudo isso é permitido. Aliás, é indicado”.  Mas a boa notícia é que existem caminhos, que facilitam todo esse processo, como o brincar!

É brincando que se aprende

“É brincando que se aprende e aprendemos também por meio da brincadeira. A brincadeira é uma parcela importante da nossa vida, e isso não se fixa ao universo infantil. O brincar é um fio que passa por toda a constituição do indivíduo , onde para poder se desenvolver o sujeito necessita do brincar”, explica Tatiane de Sá Manduca, psicóloga clínica e autora do livro “Valida-te”, mãe de Mateus à Pais&Filhos.

Segundo Vanessa Abdo, doutora em psicologia e CEO do Mamis na Madrugada, mãe de Laura e Rafael, é com a brincadeira, que a gente consegue aprender e também fazer uma elaboração dos nossos conflitos e isso também se aplica aos nossos filhos: “Nossa olha como eu fui bom, hoje eu não fui tão bom… E está tudo bem não ser tão bom. Poder experimentar todas essas consequências da brincadeira e ver como a gente se sente em cada uma delas. É um processo de aprendizado e autoconhecimento”, explica.

Ou seja, pular, correr, imaginar, criar e estar em constante movimento, tanto mental quanto corporal, contribui para o desenvolvimento social, emocional e cognitivo de cada criança. A missão dos pais de educar fica mais divertida ao proporcionar o momento de brincadeira.

Prova disso é o educador Humberto Baltar, pai de Apolo, e idealizador do coletivo Pais Pretos Presentes com a esposa, Thainá Baltar. Para ele, a brincadeira é essencial: “Promove a cumplicidade e a confiança entre pais e filhos, bem como apresenta as regras e valores, sendo eles, o respeito, cooperação e até mesmo a responsabilidade diante dos diferentes papéis sociais que assumimos”, explica. O pai ainda afirma que é preciso naturalizar o brincar e entender o papel dos pais no estreitamento da relação com os filhos.

Brincadeiras para crianças de cada idade

Crianças precisam ser tratadas como crianças e para Humberto, o maior presente que os pais podem dar aos filhos, são as memórias afetivas. O pai disse que sempre resgata brincadeiras que gostava na infância para se divertir com Apolo. “Crio o momento da brincadeira através dos rituais com meu filho. Desenhamos, pintamos, cantamos e brincamos enquanto ouvimos músicas e leio histórias para o Apolo. A clássica brincadeira de colorir era feita na minha infância e é legal ver que meu filho também adora”, explica.

Algumas vezes, é normal que você recorra aos celulares, tablets e à televisão para deixar seu filho longe do tédio, ainda mais se precisa trabalhar no modelo home office. Mas é importante evitar que a tecnologia domine todas as horas livres da família, e aproveitar para estreitar os laços com o seu filho usando as memórias ou a criatividade para fazer brincadeiras em família. Mas calma, a gente te ajuda! Veja algumas dicas sobre como brincar com seu filho em cada fase da vida dele feitas pelo Ninhos do Brasil, portal que apoia mães e pais em fase de crescimento:

Crianças de até 2 anos

Nessa fase, o bebê está desenvolvendo a coordenação sensório-motora, que dura até os 2 anos. É hora de descobrir o mundo através dos sentidos. Isso significa que ele adora cores, sons, texturas, e formas. Com o passar dos meses, os bebês constroem uma relação mais organizada com formas e sons diferentes.

é importante evitar que a tecnologia domine todas as horas livres da família
É importante evitar que a tecnologia domine todas as horas livres da família (Foto: Getty Images)

Uma boa opção são os brinquedos de encaixe com peças grandes, de tamanhos variados. Melhor ainda se emitirem algum som quando as peças são encaixadas, porque a criança percebe que pode escolher o que quer ouvir. Desenhar, pintar e contar histórias em lugares aconchegantes também pode funcionar.

Crianças de 3 a 4 anos

Nessa fase, seu filho começa a descobrir a autonomia. A criatividade também se desenvolve e a criança começa a entender melhor o que são regras e a brincadeira é uma forma de incentivá-las a compreendê-las. Imitação, passa anel e pintura são boas opções.

Crianças de 5 e 6 anos

Eles já sabem o que querem, do que gostam, e também com quem querem estar. Pensando nisso, brincadeiras em grupo vão ajudar seu filho a criar relacionamentos e amizades. Então, jogos com regras ao estilo esconde-esconde e caça ao tesouro podem ser divertidos. Ou até mesmo criar uma cabaninha – aquelas, no meio da sala mesmo!

jogos com regras ao estilo esconde-esconde e caça ao tesouro podem ser divertidos
Jogos com regras ao estilo esconde-esconde e caça ao tesouro podem ser divertidos para crianças de 5 anos (Foto: Getty Images)

Crianças a partir de 7 e 8 anos

É nessa fase que a energia se multiplica e os pais têm a sensação de que a “pilha” não acaba nunca. A partir dessa idade, os pequenos começam a construir sua identidade e  sentem a necessidade de interagir! Então, brincadeiras como caça ao tesouro, corda e jogos de tabuleiro são opções divertidas.

Crianças de 9 anos ou mais

As brincadeiras fortalecem o vínculo dos filhos com os pais. E justamente nesta fase da vida, as crianças já estão se alfabetizando e têm mais possibilidades de brincadeiras em família, como jogar STOP. Outras atividades como cozinhar e até fazer uma horta, também podem ser muito legais.

As brincadeiras fortalecem o vínculo dos filhos com os pais.
As brincadeiras fortalecem o vínculo dos filhos com os pais (Foto: Getty Images)

Mas em qualquer fase, o brincar é imprescindível para que a criança se conheça e se mantenha conectada aos seus desejos e vontades, inclusive, ao que futuramente será chamado de seu “propósito”. Se quiser conhecer conteúdos exclusivos para cada fase do seu filho, acesse o portal Ninhos do Brasil!