“Bruno nunca pagou pensão”, desabafa mãe de Eliza Samudio

Sônia Moura, mãe de Eliza Samúdio, desabafou sobre as dificuldades financeiras que têm passado após a morte da filha, e contou que o ex-goleiro Bruno nunca pagou pensão ao filho

Resumo da Notícia

  • O ex-goleiro Bruno teve a prisão decretada por assassinar a esposa e mãe do filho, Eliza Samúdio em 2008
  • Ele também precisa pagar cerca de R$60 mil, valor referente a dois salários mínimos por mês, que deve desde janeiro de 2020
  • A mãe de Eliza, contou que o ex-goleiro nunca pagou pensão

O ex-goleiro Bruno teve a prisão decretada por assassinar a esposa e mãe do filho, Eliza Samúdio em 2008, e pode ser preso a qualquer momento. Ele também precisa pagar cerca de R$60 mil, valor referente a dois salários mínimos por mês, que deve desde janeiro de 2020.

-Publicidade-

A avó Sônia Moura, que cria o menino, não quis se manifestar sobre a decisão, porém afirmou que Bruno nunca pagou pensão. O ex-goleiro reside em Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, e tem investido em empreendimentos, como uma loja de açaí na região. Ele também responde por uma dívida de R$3 milhões de reais em pensão para Bruninho, desde o seu nascimento, que ainda tramita na Justiça.

A mãe de Eliza Samúdio contou que Bruno nunca pagou pensão ao filho
A mãe de Eliza Samúdio contou que Bruno nunca pagou pensão ao filho (Foto: reprodução / IG)

Segundo Sônia, o pai nunca teve contato com o filho diretamente nem por advogado, tampouco procurou saber em que condições ele vivia. Hoje com 12 anos, Bruninho estuda em uma escola particular bilíngue com 100% de bolsa que conseguiu por ser atleta – ele joga futsal na posição de goleiro -, mas materiais e apostilas não estão inclusos. Porém, há cerca de 40 dias, seu marido, que arcava com os gastos da casa, morreu de parada cardiorrespiratória. “Agora somos eu e Bruninho. Até o momento temos ajuda de parentes, como a madrinha dele que fez uma vaquinha virtual, e tem ajuda nas despesas”, contou ao portal Terra.

Bruno foi condenado por homicídio triplamente qualificado de Eliza e atualmente cumpre prisão em regime aberto. O crime aconteceu em 2008 quando Bruninho tinha 4 meses e sua mãe 25 anos, mas seu corpo nunca foi encontrado. Ele chegou a ser sequestrado e mantido em cárcere privado, crimes pelos quais Bruno também foi condenado. Após ser resgatado, foi entregue à avó materna, com quem vive até hoje em Campo Grande (MS).