ButanVac: Anvisa aprova testes com voluntários no estudo da vacina contra covid-19

Esta vai ser a primeira vez que a ButanVac será aplicada em humanos e por isso serão conduzidas as fases clínicas 1 e 2, e tem como previsão vacinar 6 mil voluntários com 18 anos ou mais

Resumo da Notícia

  • A vacina contra covid-19 ButanVac vai começar a fazer testes em humanos na 1ª e 2ª fase do estudo
  • Produzida pelo Instituto Butantan, a Anvisa autorizou a pesquisa clínica do imunizante
  • Ao todo, a fase clínica 1 e 2 tem previsão de 6 mil voluntários com 18 anos ou mais

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) permitiu nesta quarta-feira, 9 de junho, a autorização para a pesquisa clínica da vacina contra a covid-19 ButanVac, do Instituto Butantan.

-Publicidade-

“Esta será a primeira vez que a ButanVac será aplicada em humanos e por isso serão conduzidas as fases clínicas 1 e 2. Para a autorização do estudo clínico a Anvisa e Butantan realizaram ao longo dos últimos dois meses uma intensa troca de informações e de reuniões com objetivo de que todos aspectos do estudo estivessem claros e com garantias de segurança aos voluntários”, disse a Anvisa.

Estudos realizados pela UFMG comprovaram o nascimento de 68 bebês com anticorpos contra a covid-19 (Foto: Freepik)

Como vai funcionar?

Tanto a fase 1 quanto a 2, segundo a Anvisa, vão ser divididos em três etapas. “Neste momento, está autorizada a etapa A do estudo que vai envolver 400 voluntários. Ao todo, a fase clínica 1 e 2 tem previsão de 6 mil voluntários com 18 anos ou mais”, explicou a agência.

Ainda segundo eles, a vacina vai ser aplicada com duas doses em um intervalo de 28 dias entre a primeira e a segunda dose. O estudo deve ser realizado no Hospital das Clínicas (FMUSP) e no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

Testes em animais e produção

A ButanVac, primeira vacina contra a covid-19 produzida inteiramente no Brasil sem que seja necessária a importação de matéria-prima, já foi testada em animais e aguardava a autorização para a realização dos testes em humanos. A expectativa é a de que um total de 18 milhões de doses esteja pronto ainda neste mês, e mais 40 milhões até o fim do ano. No entanto, esta meta é considerada irreal por alguns especialistas, uma vez que o novo imunizante nem sequer foi testado em humanos até o momento.

Rússia faz vacina anticovi para animais (Foto: Freepik)