Butanvac: Instituto Butantan envia estudos para início de testes da vacina à Anvisa

Durante uma coletiva de imprensa realizada no início desta tarde, 23 de abril, foi informado sobre a situação para conter a pandemia da covid-19 no estado de São Paulo

Resumo da Notícia

  • O Instituto Butantan protocolou estudos para o início de testes da Butanvac
  • Neste final de semana, o estado de São Paulo entra na segunda etapa da fase de transição
  • Pela primeira vez, foi notado uma redução de 23% no número de óbitos em SP

Nesta sexta-feira, 23 de abril, o governo do estado de São Paulo realizou uma nova coletiva de imprensa para atualizar sobre a situação da pandemia do novo coronavírus, além de falar sobre os próximos passos da Butanvac, vacina contra covid-19 produzida pelo Instituto Butantan. No próximo sábado, 24 de abril, toda a região entra na segunda etapa da fase de transição, que teve início no domingo, 18 de abril.

-Publicidade-

Já neste final de semana, está autorizado a abertura de restaurantes, salões de beleza, barbearias, parques, atividades culturais e academia, desde que todos os protocolos sejam seguidos. O toque de recolher ainda permanece das 20h às 5h.

Instituto Butantan envia pedido de testes em humanos para Butanvac

O estudo clínico de fases 1 e 2 irá avaliar a segurança e imunogenicidade da vacina contra a covid-19 em adultos. Hoje, 23 de abril, o Instituto Butantan enviou à Anvisa estudos para o início de testes da Butanvac. Serão 20 semanas para, em seguida, ser possível fazer a solicitação do uso emergencial no Brasil.

As fases 1 e 2 terão cerca de 20 semanas de testes (Foto: Freepik)

Em março, o Instituto já enviou o dossiê sobre a vacina para a Anvisa. A Butanvac é o primeiro imunizante produzido no Brasil, onde não será necessário a importação de matéria prima para o desenvolvimento de doses. “Uma grande notícia no momento em que o Brasil mais precisa de imunizantes para vencer a pandemia”, comemorou o Instituto via Twitter. Veja o que sabemos até agora sobre a Butanvac.

“É uma vacina que pode fazer diferença a partir do segundo semestre. Diferença para o Brasil e para outros países, porque nós temos uma grande capacidade produtiva”, reforçou Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, durante a coletiva de imprensa.

Queda de óbitos em São Paulo

De acordo com Jean Gorinchteyn, secretário de Saúde, foi possível, a partir da vacinação e também das medidas do Plano São Paulo, notar pela primeira vez uma queda de 23% do número de óbitos em todo o estado. Quanto às internações, o estado de São Paulo ainda tem 81,1% das taxas de ocupação de UTI. O secretário reforçou que em 1º de abril as taxas eram de 92,3% de pacientes internados.