Cachorro espera há mais de um mês na frente de hospital onde dono morreu de Covid-19

Covito, como foi apelidado pelos médicos, está sendo alimentado e protegido pelos funcionários do Hospital Geral Solidaridad de Nuevo Laredo, no México

Resumo da Notícia

  • Um cachorro mexicano que espera pelo dono há mais de um mês na porta de um hospital da região
  • O homem, entretanto, acabou morrendo de Covid-19
  • O caso de partir o coração aconteceu no Hospital Geral Solidaridad de Nuevo Laredo, na cidade de Tamaulipas

A lealdade dos animais de estimação é sempre um assunto que mexe com o coração, ainda mais se a amizade ultrapassa as barreiras da vida. Esse é o caso de um cachorro mexicano que espera pelo dono há mais de um mês na porta de um hospital da região. O homem, entretanto, acabou morrendo de Covid-19.

-Publicidade-
Covito é marca registrada do hospital (Foto: Reprodução / Facebook)

O caso de partir o coração aconteceu no Hospital Geral Solidaridad de Nuevo Laredo, na cidade de Tamaulipas. Segundo informações do portal Clarín, o animal espera na porta todos dias, faça frio ou faça sol. De tanto marcar presença ele acabou ganhando um apelido dos médicos: “Covito”.

Covito é marca registrada do hospital (Foto: Reprodução / Facebook)

Comovidos com a situação do animal, a equipe resolveu “adotar” o cachorro, dando comida e construindo uma casa para ele se proteger da chuva. “Esse cãozinho nos dá muita felicidade, sempre que ele nos vê ele nos acompanha da área de covid até o hospital geral e volta”, disse Dulce, uma das funcionárias.

-Publicidade-

Caso semelhante acontece há 10 anos em Belo Horizonte

Parece filme, mas é vida real: um cachorro está esperando o seu dono na frente de um hospital em Belo Horizonte há 10 anos. O vira-lata Negão, como foi batizado pelos funcionários do local, não deixa o Hospital Nossa Senhora de Lourdes desde que seu amigo foi internado.

O dono do animal não sobreviveu na época (Foto: Arquivo Pessoal)

Com o passar dos anos, o animal já ganhou fama na região. É o caso de Maria Dilma Rosa, a assistente social da clínica que presenciou toda a história da amizade, desde o começo. “O dono dele veio para cá há mais ou menos 10 anos e acabou não resistindo. Desde então, o cachorro permaneceu conosco”, explica em entrevista ao G1.

Negão já é conhecido dos funcionários (Foto: Arquivo Pessoal)

Negão ainda teve a ajuda da lanchonete do lado para permanecer no seu posto por tampo tempo, onde ganha alguns pedaços de lanche para comer. Até caminha o pet ganhou dos pacientes do hospital. “Praticamente faz parte da família, né? Todo mundo gosta dele, adora ele. Todo mundo fica sentindo pelo que está acontecendo com ele”, disse o auxiliar de serviços gerais, Emanuel Silva.

Enquanto sua vigília não chega ao fim, Negão também espera por um tratamento no fígado, onde tem uma doença. O Hospital Nossa Senhora de Lourdes faz uma campanha para arrecadar fundos para a cirurgia. Os interessados em ajudar ou adotar o cachorro podem entrar em contato no e-mail: contato@fundacaohospitalar.com.br.

-Publicidade-