Cachorro idoso ganha “emprego” em farmácia após ficar sem lar por conta da pandemia

Matute tem cerca de 10 anos e é um velho conhecido dos moradores da comunidade no México

Resumo da Notícia

  • Matute morava nas ruas da comunidade
  • Ele ficou sem lar por conta da pandemia
  • Funcionários de uma farmácia decidiram acolher o animal

Um cachorro idoso comunitário chamado de Matute foi “contratado” como chefe de segurança em uma farmácia de Pachuca, no sudeste do México. O adorável cão tem cerca de 10 ano e desde que era filhote fazia parte da rotina da comunidade, local onde é querido por todos os moradores. A notícia alegrou o local e principalmente a protetora de animais Adriana Dorazco, que alimentava o animal diariamente.

-Publicidade-
Matute ficou muito feliz por ser acolhido (Foto: Reprodução / Razões para acreditar)

“Dizem – é uma coisa que não sei – que aparentemente ele chegou aqui com família, mas quando se mudaram, abandonaram-no. Em suas perambulações pela colônia, ele adormeceu em vida, comecei a alimentá-lo, mas ele nunca quis ficar dentro de casa”, disse Adriana ao portal Milenio.

Ela continuou, dizendo que já tentaram adotar o cachorro: “Havia duas outras famílias que também queriam dar uma casa para ele, mas não sei como ele não e adaptou a viver trancado. Então eu o esterilizei e dei suas vacinas”, completou. Ao longo dos anos, o cãozinho já passou por diversas famílias, mas não permanecia, pois gostava de ficar nas ruas (onde se acostumou a viver desde pequeno)”.

A comprovação do “emprego” de Matute (Foto: Reprodução / Razões para acreditar)

Matute ficava a maior parte do tempo em uma loja de videogame, para se proteger do calor e da chuva, mas por conta da pandemia, o estabelecimento fechou e ele ficou sem lar. Por conta da situação, funcionários de uma farmácia ao lado decidiram acolhê-lo e “dar um emprego” à ele.

O cachorro agora virou chefe de segurança do local, com direito até a crachá de identificação. Adriana brinca que o verdadeiro trabalho do animal é ser paparicado, receber cafunés e muitos petiscos dos clientes. “Faça um apelo para que o exemplo de Matute possa ser replicado em cada bairro em que haja um cachorro abandonado“, disse.