Cachorro precisa de operação após engolir 19 chupetas e foto impressiona

Mortimier, o bulldog, vive em Boston nos Estados Unidos

O bulldog que engoliu 19 chupetas (Foto: reprodução Boston Globe)

Emily Shanahan, mãe de dois filhos, vive em Boston nos Estados Unidos, levou um baita susto quando levou o seu cachorro no veterinário. Olha só que loucura:

-Publicidade-

De um tempo para cá Mortimier, o cachorro, estava apresentando um comportamento um tanto quanto estranho, ele não estava terminando as suas refeições, não dormia próximo da família e não seguia mais a sua “mãe” pela casa. Foi quando o bulldog foi levado ao veterinário.

Foi quando o médico fez um raio-x, descobriu que o pet tinha engolido 19 chupetas! O veterinário acredita que o cachorro está engolindo esse objeto por cerca de 7 meses. O veterinário retirou as 19 chupetas do cão usando um endoscópio. O cachorro  está bem e voltou a comer após o procedimento.

-Publicidade-

“Nós amamos esse cachorro e faríamos qualquer coisa por ele – e estou aliviada que esse era um problema que poderia ser resolvido”, disse Emily ao Boston Globe.

Ter cachorro em casa faz bem para o seu filho

A veterinária Renata Basile Medina, especializada em neurologia pela UNESP Botucatu, explicou para a gente que quando uma criança ganha um cachorro, ela ganha um companheiro. “Isso diminui de forma importante o stress ou qualquer tipo de dificuldade que a criança tenha em lidar com outras pessoas, por exemplo”, afirma Renata.

Em estudo da Universidade da Flórida, realizado com aproximadamente 100 famílias que têm cachorros, foram aplicados testes falados e de lógica nas crianças, que são conhecidos por aumentar os níveis de stress e aumentar a quantidade de hormônio cortisol. As crianças foram aleatoriamente escolhidas para passar por esse estudo a companhia de seus pais, de seus cachorros ou sozinhos.

O estudo provou que as crianças que estavam junto aos seus cães reportaram sentimentos menos estressantes e que as crianças que tinham um grande engajamento com seus cachorros apresentaram níveis de cortisol menores em sua saliva.

E as melhorias causadas por esse convívio não param por ai. “Ter um cachorro ensina à criança o real sentido de companheirismo, cumplicidade, fidelidade. Ensinam sobre o amor na sua forma mais pura”, completa Renata.

Como escolher o seu ‘Cãopanheiro’

Para escolher o cão certo para a família, alguns fatores devem ser avaliados. “Temos que avaliar o nível de energia que o cão deve ter, ou seja, se a família gosta de passear, quanto tempo a família vai dedicar ao filhote, qual a expectativa de custos que aquele cãozinho pode ter, bem como pensar no tamanho. Crianças muito pequenas (menos de um ano, até cerca de 3 anos) devem sempre ter cães um pouco maiores. Cães que devam ter ao menos 5kg”, explica Renata.

Além disso, quando for adotar o cachorro é sempre preciso escolher um lugar com serviço confiável, sabendo de onde vem o cãozinho, sobre as vacinas e castração. Pois caso isso não tenha sido realizado, é algo importante para ser programado.

Cachorros animam o ambiente, melhoram a saúde e desenvolvimento intelectual das crianças, por isso, podem ajudar muito em seu desenvolvimento, independente da idade!

Leia também:

Como fazer seu filho largar a chupeta

Como a chupeta pode interferir no desenvolvimento da fala do seu filho

Cachorro que ajuda nas buscas de Brumadinho ganha homenagem de bombeiro e comove a internet

-Publicidade-