Cadelinha Hope volta a cuidar de crianças e adolescentes no Inca após Covid-19

A Golden Retriever faz parte da Terapia Assistida por Animais do instituto

Resumo da Notícia

  • Cadelinha Hope voltou a visitar crianças e adolescentes no Inca após Covid-19;
  • A Golden Retriever havia interrompido os trabalhos no instituto por medidas de segurança sanitária do hospital;
  • Ela faz parte do programa de Terapia Assistida por Animais do instituto.

Pacientes e funcionários da Seção de Pediatria do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) comemoraram a volta ao trabalho de uma de suas terapeutas na última terça-feira, 14. A Golden Retriever Hope, de 3 anos, retomou as atividades este mês, após quase dois anos afastada, devido aos cuidados com a segurança hospitalar durante a pandemia de covid-19.

-Publicidade-

Hope ajuda a promover a Terapia Assistida por Animais no instituto, realizando visitas semanais às crianças e adolescentes do Inca, que estão em tratamento oncológico, após serem autorizados pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar do Inca para receberem a Golden em seus leitos médicos.

A Terapia Assistida por Animais foi implementada na Seção de Pediatria do instituto em abril de 2019 e, desde então, vem sendo um apoio importante no desenvolvimento emocional e na promoção do bem-estar dos pacientes que permanecem ali todos os dias.

Hope visita as crianças que fazem tratamento no Inca (Instituto Nacional do Câncer), no Rio
Hope visita as crianças que fazem tratamento no Inca (Instituto Nacional do Câncer), no Rio (Foto: Divulgação)

Em entrevista ao UOL, Joana Katelin Silva de Souza, mãe de Levi Emanuel, contou que ele conheceu a cadelinha em 2019, quando Levi foi internado no Inca pela primeira vez, com um ano e três meses de idade, para tratar de uma má formação linfática. “Ele ficou apaixonado pela Hope e eu acredito que seja assim com todas as crianças. A vinda dela, o retorno, vai ajudar as crianças que estão aqui, que permanecem e precisam de todo esse carinho, de todo esse suporte”, afirmou.

Bianca Santana, médica oncopediatra responsável pelo trabalho do cão no Inca, informou que durante o período em que ficou longe das atividades, a Golden Retriever manteve sua rotina, que inclui passeios, aulas de adestramento diários e sessões de fisioterapia na hidroesteira uma vez por semana. “Além de muito dócil, Hope recebe adestramento específico para o trabalho desde os primeiros meses de vida”, ressaltou a médica.