Carga mental: 5 formas que ela pode afetar a sua saúde e como mudar isso

A carga mental é um fardo pesado para qualquer mãe carregar sozinha. Se você não tomar cuidado, ela pode começar a afetar sua saúde. Felizmente, existem maneiras de evitar que isso aconteça

Resumo da Notícia

  • A carga mental é um fardo pesado para qualquer mãe carregar sozinha
  • Isso acontece pela acumulação de tarefas de casa para manter a família funcionando
  • E ainda pior: essa carga mental pode levar a uma variedade de sintomas desde a saúde física até a mental

“Eu pulo refeições, perco treinos e não durmo”, conta Priscilla Broomall à revista americana Parents. A mulher é dona de casa e mãe de 2 meninos. “Tem tanta coisa para fazer. Eu me coloco muitas vezes em último lugar. As crianças consomem seu mundo e eu me pego o tempo todo no piloto automático e acabo tomando decisões não tão saudáveis ​​para mim mesma. Ainda assim, não me arrependo. É um dos fatores atrelados a ‘ser mãe'”.

-Publicidade-

A história de Broomall não é estranha; Inclusive, se tornou a norma nas relações familiares, à medida que as mães lidam com a carga mental, geralmente considerada como os bastidores para fazer tudo funcionar. Nessa lista de tarefas aparecem coisas como garantir que o estoque de papel higiênico não acabe, tirar a carne do freezer para o jantar, lavar roupa, verificar os deveres de casa das crianças e agendar as consultas médicas de todos – alguém aí se identifica?

Carga mental: 5 formas que ela pode afetar a sua saúde e como mudar isso (Foto: iStock)

Essa lista raramente inclui autocuidado e tempo sozinha para a mãe. Agora, adicionando o desafio das aulas remotas e os recursos limitados por causa da covid-19, você vai ter a receita perfeita para uma “crise de mãe”.

E não é apenas fazer as tarefas que fica pesado: é o constante pensamento nelas, especialmente para as mães que trabalham. Cerca de 3 em cada 5 mulheres que trabalham dizem que pensam sobre tarefas domésticas enquanto estão no ambiente de trabalho, de acordo com o Bright Horizons Modern Family Index de 2017. Faz sentido, então, que 69% das mães trabalhadoras digam que as responsabilidades domésticas criam uma carga mental, enquanto 52% delas estão esgotadas com o peso de tudo isso.

E ainda pior: essa carga mental pode levar a uma variedade de sintomas desde a saúde física até a mental. Por isso, baseada na lista da americana Parens, separamos 5 maneiras que a carga mental pode afetar a sua saúde como mãe, e o que fazer a respeito.

Como a carga mental pode afetar a saúde da mãe

  • Ansiedade e depressão

Fazer malabarismos com questões familiares, pessoais e também com o trabalho pode ser  estressante. “Isso pode se tornar um problema sério”, diz Nicole Avena, Ph.D., autora e professora de psicologia da saúde na Universidade de Princeton. “Estamos sobrecarregados em nossos empregos e em casa”, conta.

Não ser capaz de se afastar, segundo ela, pode levar a sérios problemas de saúde mental. Alguns dos mais comumente relatados incluem ansiedade e depressão. As mulheres têm quase duas vezes mais probabilidade do que os homens de serem diagnosticados com transtornos de ansiedade. E uma em cada 10 mulheres, incluindo mães, apresenta sintomas de depressão, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC). Grávidas de filhos múltiplos, como gêmeos ou trigêmeos, inclusive, têm maior risco de depressão.

  • Privação de sono

Alguns dizem que a privação do sono é um rito de passagem para os novos pais. No entanto, ela pode continuar muito além da fase do recém-nascido, afetando outras áreas da vida. De acordo com uma pesquisa da National Sleep Foundation, 74% das mães que ficam em casa já sentiram sintomas de insônia.

A falta de sono é frequentemente alimentada pelas demandas da maternidade que excedem o limite mental e físico da mãe, bem como pelo sentimento avassalador da culpa. Infelizmente, o cansaço pode levar a outros problemas, como irritabilidade, sistema imunológico enfraquecido e desconexão com a família.

A falta de sono é frequentemente alimentada pelas demandas da maternidade (Foto: iStock)
  • Falhas na memória

Se você não consegue se lembrar de que seus óculos “perdidos” estão na sua cabeça e você constantemente esquece compromissos da semana, você não está ficando doida. Você está apenas perdendo sua memória graças à sua carga mental.

Após o parto, as mães podem sofrer de algo chamado “esgotamento pós-natal“, um termo criado por Oscar Serrallach, MBChB, FRACGP, médico especializado em medicina funcional. A expressão é definida como uma ” deterioração física e mental” que pode ocorrer pela perda de nutrientes como ferro, zinco e vitamina B12 após o parto. E esse esgotamento às vezes pode durar anos por causa do estresse ligado à maternidade. “O que acontece com o tempo é que as mães assumem mais o trabalho mental ao criar os filhos e facilmente esse esgotamento vai se transformando em um problema mais sério no puerpério”, diz Suzie Welsh, RN, MSN e co-fundadora da Binto, uma empresa de saúde feminina que fornece suplementos para necessidades personalizadas.

As mulheres que passam por isso sentem fadiga constante, que não é corrigida pelo sono. O que leva a uma dificuldade de concentração e memória fraca.

  • Dores de cabeça

Você não está imaginando – é provável que esteja realmente sentindo mais dores de cabeça do que o seu parceiro. Os hormônios e os níveis de estresse fazem com que as mulheres tenham 3 vezes mais chances de sentir dores de cabeça do que os homens. A falta de sono, a ansiedade e o esgotamento associados à carga mental podem influenciar nas dores de cabeça frequentes.

“O estresse e a carga mental de uma mãe podem causar estragos no corpo, liberando substâncias químicas que fazem o organismo reagir, entrando em um estado de luta ou fuga”, explica Jaclyn Fulop, fisioterapeuta licenciada e fundadora do Exchange Physical Therapy Group em Jersey City, Nova Jersey. “O corpo não consegue distinguir entre uma ameaça real ou o estresse da vida diária. Se este ciclo se repetir, ele afeta o sistema nervoso central e o cérebro, causando sinais de dor no corpo”.

Você não está imaginando – é provável que esteja realmente sentindo mais dores de cabeça do que o seu parceiro (Foto: Getty Images)

E lembre-se de que o seu organismo está totalmente conectado! Se os músculos do pescoço e da parte superior das costas ou ombros ficarem tensos por causa do estresse, eles podem puxar a parte de trás do crânio, causando dores de cabeça tensionais, explica Fulop. Frequentemente, os pontos-gatilho em uma área podem impactar a maneira como você se sente outra área completamente separada.

  • Vícios

Em alguns casos, o estresse e a carga emocional (associados a uma grande carga mental) podem levar ao uso de substâncias, como o álcool. Um drink de vez em quando para a mãe no momento de descontração e relaxamento não tem problema – afinal, mãe também é gente. No entanto, quando o uso de drogas e álcool leva à deficiência, ao desligamento da família e à incapacidade de cuidar das responsabilidades diárias normais, você pode ter um problema de abuso dessas substâncias. De acordo com o Instituto Nacional de Abuso de Álcool e Alcoolismo, cerca de 5.3 milhões de mulheres sofrem desse transtorno. “O álcool não cura os desafios da maternidade”, diz a Dra. Avena. Na verdade, pode piorar os sintomas associados aos transtornos mentais.

Em alguns casos, o estresse e a carga emocional (associados a uma grande carga mental) podem levar ao uso de substâncias, como o álcool (Foto: iStock)

Como aliviar sua carga mental

Quando o problema é que as mães estão simplesmente fazendo muito, a solução é simplesmente elas pararem de fazer tanto. Isso pode ser mais fácil de dizer do que fazer, já que pedir ajuda nem sempre é fácil e nem sempre tem alguém a quem pedir. Mas existem maneiras de lidar com essa carga mental.

  • Estabeleça limites

As mães podem ajudar a si mesmas dizendo “não” a coisas que não estão de acordo com suas necessidades ou com as quais elas simplesmente não têm capacidade de lidar. Reconhecer os próprios limites e se recusar a entrar em situações é importante para administrar a carga mental e ter a capacidade de reservar tempo para você e para a sua saúde.

  • Delegue

As mães também precisam aprender a não sofrer em silêncio até que o fardo se torne insuportável. Atribua tarefas ao seu parceiro (se tiver um), dê aos seus filhos tarefas adequadas à idade deles e até mesmo peça ajuda a um amigo quando precisar.

Se não tiver ninguém por perto para você delegar algumas tarefas, conte com a tecnologia. Faça uma assinatura mensal de papel higiênico e fraldas; adicione lembretes no telefone para irrigação das plantas e automatize o pagamento das suas contas, por exemplo. Fazer isso te ajuda a colocar algumas responsabilidades no piloto automático e eliminar alguns problemas mentais, para que você libere mais tempo e espaço para si mesma, explica a Dra. Avena.

  • Arranje tempo para você mesma

Gerenciar bem a carga mental significa encontrar tempo para atender às suas necessidades e se colocar em primeiro lugar quando possível. “Reserve apenas 5 a 10 minutos por dia para fazer algo que te mantenha firme, como caminhar ou meditar”, aponta Welsh. Esses hábitos também podem te ajudar a controlar as dores de cabeça induzidas pelo estresse, explica Fulop. Não se esqueça de que uma soneca revigorante sempre faz bem. Welsh também recomenda que as mães tentem aderir a um horário de sono entre às 23h e 5h, se possível.

Gerenciar bem a carga mental significa encontrar tempo para atender às suas necessidades e se colocar em primeiro lugar quando possível (Foto: Reprodução/ Parents)
  • Obtenha ajuda externa quando necessário

Claro, todas essas soluções podem ser apenas um alívio momentâneo, mas a sua saúde mental afeta tudo. Desde a maneira como você administra sua rotina diária até como está a sua saúde física e, assim como qualquer problema, ela precisa ser tratada da melhor forma possível. Às vezes, ajuda externa é necessária e tudo bem. Toda mãe tem momentos de crise, mas nunca espere até que esses seus sentimentos se tornem tão fortes que eles comecem a afetar a sua vida diária, sugere a Dra. Avena. Opte por ajuda externa, seja de um profissional licenciado ou de um grupo de apoio a mães local ou virtual.

Está na hora das mães normalizarem parar um pouco e respirar. Afinal, as crianças precisam de uma mãe feliz e saudável mais do que de uma mãe perfeita.

Tradução por Letícia Mutchnik, filha de Sofia e Christiano, é estagiária na Pais&Filhos e estudante de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero.