Casal adota 5 irmãos para evitar que eles fossem separados: “Nossa ligação vem de outras vidas”

As crianças estavam em um abrigo em Rio Claro, em São Paulo

Resumo da Notícia

  • Um casal adotou cinco irmãos para que as crianças não fossem separadas no momento da adoção
  • Eles estão comemorando a conquista da guarda definitiva dos filhos
  • As crianças viviam juntas em um abrigo

Um casal adotou cinco irmãos para que as crianças não fossem separadas no momento da adoção. Eles estão comemorando a conquista da guarda definitiva dos filhos. As crianças viviam juntas em um abrigo.

-Publicidade-

Jhonatan Wiliantan da Silva e do Daniel Rocha Braz adotaram as cinco crianças para evitar que, no processo de adoção, elas fossem separadas. As crianças foram retiradas dos pais por negligência, e foram levadas para um abrigo em Rio Claro, no interior de São Paulo. A mãe biológica deles é uma prima distante de Jhonatan e, por isso, ele soube da história e resolveu visitá-los. “Eu me apaixonei completamente”, disse o pai.

O casal decidiu que iram apadrinhar as crianças, então eles podiam fazer passeios e estar com os elas. “Eu tinha um carro. Então eu pegava [as crianças] e levava para tomar sorvete, fazer as unhas, essas coisas”, lembram o casal. Quando a pandemia chegou e necessidade do isolamento aconteceu, as visitas foram restringidas e eles passaram a mandar vídeos para os filhos. “Lá [no abrigo] falta o amor, o calor, o carinho que a gente tem na nossa casa”, explicaram.

Os pais das crianças descobriram que dois deles poderiam ser adotados, então decidiram que adotariam todos, para que não fossem separados: eu soube que eles poderiam seriam colocados para a adoção nacional e poderiam ser separados. O João, a Yarah, que são mais novos são o tipo de um catálogo de adoção, mas eu fiquei pensando no maior, o que seria dele, a gente sabe que é difícil a adoção de crianças mais velhas, foi quando eu mostrei interesse em ficar com eles porque eles precisavam de mim”, conta Jhonatan.

Casal ganha guarda definitiva dos 5 irmãos que adotaram para evitar separação. (Foto: Reprodução / Só Notícia Boa)

Logo eles levaram os quatro irmão para a casa e entraram com o pedido de adoção. Em seguida, o casal ficou sabendo que os filhos teriam mais um irmão, João Miguel, que eles se ofereceram para também adotar. “Eu fiquei pensando nessa criança crescendo longe dos irmãos. Eu olhei para os outros e pensei: ‘se tem lugar para quatro, cabe o quinto também”, disse o pai.

Daniel falou que o amor pelos filhos é incondicional e, apesar das dificuldades em cuidar de cinco crianças e ainda lidar com julgamento por eles serem um casal homossexual, ele não mudaria de ideia: “Talvez, se estivesse sete, eu faria por sete porque é um amor incondicional, você não olha a quantidade, olha a estrutura familiar que está em risco, a gente vê casos de famílias que procuram irmãos a vida toda e não encontram, é doloroso, estamos falando de seres humanos”.

O bebê chegou a casa da família na Véspera de Natal, e os pais entregaram a criança como um grande de presente de Natal para seus irmãos. “O Papai Noel mandou outro presente e disse que era para cuidar com muito amor. Foi uma noite muito especial e inesquecível. Finalmente eu senti que nossa família estava unidade de verdade”, contaram.

Agora, oficialmente pais de João Miguel, de 1 ano e 6 meses, Iara, de 3 anos, Harry, de 4 anos, Wendel, de 6 anos e Douglas, de 11 anos, eles iram batizar as crianças e terão padrinhos. “Foi uma adaptação. Hoje a gente já sentindo que está no controle, que estamos dando conta. A gente olha pra trás e vê quantas coisas que nós aprendemos e evoluindo. Aprendeu a ouvir, aprendeu a dar valor em pequenas coisas que uma criança fala, por exemplo, um ‘eu te amo’, um ‘você está lindo’. São coisas que faz tanta diferença e faz com que a gente sinta que está indo no caminho certo. Eu sou muito emotivo, sinto que a nossa ligação vem de nossas vidas”, conclui Jhonatan.