Casal de idosos faz relato após abrigar mais de 600 crianças durante a vida

Pauline e Roger Fitter, de Haslemere, West Sussex, Inglaterra, decidiram que ajudariam o maior número possível de crianças sem pais

Resumo da Notícia

  • Pauline e Roger Fitter, de Haslemere, West Sussex, Inglaterra, se aposentaram da adoção depois de decidirem que ajudariam o maior número possível de crianças sem pais;
  • Ao todo, 620 crianças passaram pela casa do casal.
  • O casal tinha uma espécie de lar provisório.

Pauline e Roger Fitter, de Haslemere, West Sussex, Inglaterra,  se aposentaram da adoção depois de decidirem que ajudariam o maior número possível de crianças sem pais. Ao todo, 620 crianças passaram pela casa do casal antes de serem adotadas.

-Publicidade-

O casal criou crianças de lugares distantes como Bielo-Rússia e Lituânia, com idades variando entre apenas três dias de idade e aqueles no final da adolescência. Eles também encontraram tempo para criar seus próprios cinco filhos, incluindo um filho adotivo.

Pais abrigam 600 crianças (Foto: Reprodução/ Instagram)

Foram 56 anos abrigando crianças.  Em entrevista ao Daily Mail, o casal contou que chegou a acolher onze crianças de uma só vez em um verão. “Num verão, simplesmente aconteceu, tínhamos 11 filhos ao mesmo tempo.Então, transformamos o jardim dos fundos em um acampamento; dormindo em barracas e até fazendo inspeções matinais”, disseram.

“Decidi desde os 19 que queria cuidar de crianças que não tivessem mamães ou papais – eu sabia que queria impedir que tantos quanto eu fossem institucionalizados”, disse Pauline. Pouco tempo depois, ela e o marido tornaram a casa um lar provisório para crianças adotadas.

Pais abrigam 600 crianças (Foto: Reprodução/ Instagram)

O casal continuou a dar as boas-vindas a mais de 600 recém-chegados ao longo do meio século seguinte. “Quase imediatamente depois daquele primeiro filho, tivemos cinco bebês recém-nascidos em um ano, um após o outro, o que significava muitas mamadas noturnas às duas da manhã e pouco sono”.

Entretanto, eles decidiram se aposentar para oferecer ao marido uma casa mais tranquila. “Entregamos nosso último filho à sua família adotiva permanente no início de maio deste ano”, conta. O casal disse que a despedida foi difícil, mas apesar de tudo, muitas das crianças que ficaram na casa do casal continuam mantendo contato, algumas enviando fotos de seus casamentos e outras retornando para visitar.