Casal morre de covid-19 e deixa 4 filhos após se recusarem a tomar a vacina da doença

Lawrence e Lydia Rodriquez não acreditavam na eficácia dos imunizantes do novo coronavírus

Resumo da Notícia

  • O casal morreu após contrair o coronavírus
  • Eles não acreditavam na eficácia das vacinas
  • Deixaram 4 filhos para trás

Um casal do Texas morreu por conta de complicações da covid-19 após se recusarem a se vacinar por “não acreditar” na eficácia dos imunizantes. Lawrence e Lydia Rodriquez foram internados em julho em um hospital de La Marque. A mulher chegou a pedir para ser vacinada depois de ir para a UTI, mas os médicos disseram que não haveria mais tempo. Após 3 semanas internado, o homem morreu no dia 3 de agosto por complicações que afetaram os rins. Lydia faleceu na manhã desta última quarta-feira, 17 de agosto.

-Publicidade-
O Casal deixou 4 filhos (Foto: Reprodução / UOL)

Quem confirmou as mortes foi a prima da mulher, Dottie Jones. Foi ela que começou uma campanha no GoFundMe, para ajudar os filhos do casal a pagarem todas as despesas do hospital. Até a manhã desta última quinta-feira, 19 de agosto, dos 432 mil reais pedidos, eles conseguiram arrecadar cerca de 345 mil reais. Dottie concedeu entrevistas a diversos portais de notícias e confirmou que Lawrence e Lydia se recusaram a tomar a vacina da covid-19. “Eles não acreditavam em vacinas. Você tenta falar com eles, e Lydia simplesmente não gosta disso, não confiava nisso, eu acho”, contou ela ao canal ABC13.

A mulher também relembrou as últimas palavras de Lydia: “Antes de ser intubada, uma das últimas coisas que ela disse à irmã foi ‘por favor, certifique-se de que meus filhos sejam vacinados”. Agora, toda a família está tentando cuidar dos 4 filhos do casal: os gêmeos Nathan e Ethan, de 18 anos; Adam, de 16 anos, e a filha Synphonia, de 11 anos. Eles também estão ajudando a pagar as despesas da família, já que eles não tinham reserva financeira. Lydia atuava como professora de piano e Lawrence esgotou o prazo de férias remuneradas.

Dottie está muito triste com a situação e acredita que se os dois tivessem se vacinado, nada disso teria acontecido, e quer que a história sirva de alerta. “Parte meu coração que as pessoas estão acreditando na desinformação. A desinformação está matando pessoas, e precisamos divulgar a verdade”, disse ela ao canal.