Caso Henry: mãe do menino admite mentira e diz que não encontrou o filho morto

Monique Medeiros, deseja prestar um novo depoimento à Polícia Civil 16º DP (Barra da Tijuca) sobre o que aconteceu na madrugada do dia 8 de março

Resumo da Notícia

  • Monique Medeiros admite que mentiu no primeiro depoimento à Polícia
  • A mãe de Henry Borel, de 4 anos, diz que não encontrou o filho caído da cama na madrugada do dia 8 de março
  • Monique disse que não podia dar detalhes sobre o episódio porque aguarda resposta para o pedido de um novo depoimento
  • A polícia ainda não informou se fará um novo interrogatório

Monique Medeiros, a mãe de Henry Borel, de 4 anos, admite que mentiu no primeiro depoimento à Polícia Civil 16º DP (Barra da Tijuca), quando afirmou que encontrou o filho caído da cama na madrugada do dia 8 de março, após dormir com o Jairinho no quarto de hóspedes, segundo informações da coluna de Juliana Dal Piva, do UOL.

-Publicidade-
Mãe de Henry, Monique Medeiros admite mentira em primeiro depoimento (Foto: Reprodução / Vídeo R7)

A mãe de Henry conta que não encontrou o menino caído no chão do quarto de casal do apartamento na madrugada de 8 de março, quando ele já sem vida. Monique Medeiros relatou que foi obrigada por Jairinho a inventar uma versão que “seria melhor até para ela”.

No primeiro depoimento à polícia, Monique havia dito que dormiu assistindo TV com o namorado no quarto de hóspedes e de madrugada acordou e encontrou Henry caído no chão. Agora, a defesa de Monique disse que não podia dar detalhes sobre o episódio porque aguarda resposta para o pedido de um novo depoimento. A polícia ainda não informou se fará um novo interrogatório.

O pai de Henry, Leniel Borel, já havia apontado essa contradição nos depoimentos de Jairinho e Monique prestados à polícia. Quando chegou ao hospital Barra D’Or, onde Henry já deu entrada sem vida, ele escutou da mãe do menino que Jairinho já estava ao lado da criança quando chegou ao quarto do casal e encontrou Henry no chão.

Mãe de Henry Borel está com 5% dos pulmões comprometidos após contrair covid-19

Na última segunda-feira (19), Monique Medeiros da Costa e Silva, mãe de Henry Borel foi diagnosticada com covid-19. Por essa razão, ela foi isolada no Hospital Penitenciário Hamilton Agostinho, no Complexo Penitenciário de Gericinó, localizado na região oeste do Rio de Janeiro.

A mãe de Henry Borel contraiu covid-19 e está com 5% dos pulmões comprometidos pela doença (Foto: Reprodução / Vídeo)

Nesta quarta-feira (20), por meio de um laudo no qual o GLOBO teve acesso, foi confirmado que a mulher está com 5% dos pulmões comprometidos em decorrência da doença. O resultado foi obtido a partir de uma tomografia computadorizada.

“Discreta área com atenuação em ‘vidro fosco’ periférica, localizada em segmento superior do lobo inferior esquerdo e, associada a mínimo espessamento de septos e linhas intralobulares de permeio. A extensão do acometimento do parênquima pulmonar é de 5%”, relata um trecho do documento.

Em nota também para o GLOBO, a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) disse: “A interna Monique Medeiros foi encaminhada, nessa terça-feira ao Hospital Municipal Albert Schweitzer, em Realengo, por recomendação médica, para a realização de exame de tomografia, após diagnóstico positivo para Covid-19. A mesma passa bem e já retornou ao Hospital Penitenciário Hamilton Agostinho, no Complexo de Gericinó, onde continuará isolada e recebendo o acompanhamento médico devido”.

Caso Henry Borel

Ela e o namorado, o vereador Dr. Jairinho estão sendo acusados da morte de Henry Borel, de 4 anos. O menino passava um período na casa da mãe na segunda-feira, 8 de março, quando deu entrada em um hospital.

No laudo médico é relatado que a criança já deu entrada no hospital sem vida, sendo a causa uma hemorragia interna e laceração hepática causada por uma ação contundente. A Polícia Civil do Rio está analisando o processo e deve concluir ainda nesta semana.