Caso Henry: porta-retratos do apartamento da mãe e Dr. Jairinho teriam sido trocados após a perda do menino

Foram encontrados 3 porta-retratos desmontados dentro de uma sacola no quarto da empregada do apartamento da mãe de Henry Borel e Dr. Jairinho

Resumo da Notícia

  • Foram encontrados 3 porta-retratos desmontados dentro de uma sacola no quarto da empregada do apartamento da mãe de Henry Borel e Dr. Jairinho
  • No quarto do casal, tinham outras três imagens deles com o filho dela de 4 anos, que perdeu a vida na madrugada do dia 8 de março
  • Os peritos suspeitam de que as fotos do casal foram trocadas por imagens de Henry após a perda do menino

Foram encontrados 3 porta-retratos desmontados dentro de uma sacola no quarto da empregada do apartamento da mãe de Henry Borel e Dr. Jairinho, do condomínio Majestic. No quarto do casal, tinham outras três imagens deles com o filho dela de 4 anos, que perdeu a vida na madrugada do dia 8 de março.

-Publicidade-

Os porta-retratos estavam dentro de uma sacola de uma rede de papelarias perto dos produtos de limpeza da lavanderia e foram vistos pelos policiais durante uma das perícias complementares na residênica, que podem durar até 30 dias, prazo da interdição judicial do local.

A polícia acredita que Jairinho e Monique trocaram os porta-retratos depois da perda de Henry Borel (Foto: Reprodução/ O Globo)

Os peritos suspeitam de que as fotos do casal foram trocadas por imagens de Henry após a perda do menino. Segundo eles, o cenário poderia ter sido montado para reforçar o depoimento prestado pelo casal de que a família vivia em harmonia. De acordo Monique, ela e Jairinho se conheceram durante um almoço de trabalho no Shopping Village Mall, na Barra da Tijuca, em agosto de 2020. Um mês depois, eles começaram a namorar e, em novembro, foram morar juntos e com o menino no condomínio.

-Publicidade-

Em fevereiro, Monique procurou uma psicóloga dizendo que o menino não queria ficar no apartamento com ela e o namorado e pedia para dormir com os avós maternos, na casa da família, em Bangu, também na Zona Oeste.

Entenda o caso Henry Borel

No fim de semana antes de perder a vida, Henry estava com o pai, o engenheiro Leniel Borel de Almeida, com quem foi a igreja e a um parque de diversões. O responsável deixou a criança no Majestic às 19h20m do dia 7 e, por volta de 3h30 da manhã, Monique e Jairinho disseram em depoimento ter acordado e encontrado o menino caído no chão, com mãos e pés gelados e olhos revirados.

Entenda o caso Henry Borel (Foto: Reprodução / Vídeo R7)

Eles levaram a criança ao Hospital Barra D’Or, mas, segundo as médicas, o filho já chegou sem vida a unidade e com as lesões descritas em seu laudo de necropsia, que aponta hemorragia interna e laceração hepática, provocada por ação contundente, além equimoses, hematomas, edemas e contusões.