Caso Leandro Bossi: ossada do garoto é encontrada 30 anos após o desaparecimento

O rapaz sumiu em um show no litoral do Paraná em 1992 e após 30 anos, foi encontrada uma ossada em que o material genético dela é 99,99% compatível ao da mãe de Leandro

Resumo da Notícia

  • Ossada de Leandro Bossi é encontrada após 30 anos do desaparecimento
  • O menino sumiu em um show no litoral do Paraná em 1992
  • O material genético da ossada do garoto era 99,99% compatível ao da mãe

O caso “Leandro Bossi” marcou a década de 90. O até então, garoto, desapareceu durante um show em Guaratuba, litoral do Paraná, em 15 de fevereiro de 1992, quando tinha 7 anos de idade. E após 30 anos do ocorrido, o Governo do Estado confirmou nesta setxa-feira, 10 de junho, que uma ossada encontrada e analisada é correspondente ao material genético de Leandro.

-Publicidade-

O garoto desapareceu dois meses antes de Evandro Ramos Caetano, que tinha seis anos. O garoto sumiu do trajeto entre a casa e a escola, e depois de dias, apareceu um corpo em um matagal sem órgãos e mãos e pés cortados. Sobre o caso de Leandro, conforme o perito, foi comprovado 99,99% de compatibilidade da amostra do material coletado da mãe do garoto.

Ainda não foi detalhado onde a ossada foi encontrada, nem quando foi analisada e quando tiveram a confirmação do material genético. Segundo o secretário de Segurança Pública, Wagner Mesquita, o resultado foi baseado em oito amostras analisadas de 3 mães diferentes. “Este resultado de hoje trará algum impacto para investigação do homicídio. Agora vamos ter que analisar o inquérito”.

Informações sobre o garoto correram cidades quando ele desapareceu (Foto: Reprodução/ Polícia Civil/ G1)

Patrícia Nobre é chefe do Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas (Sicride) e ela contou ao G1 sobre a reação da família de Leandro quando recebeu a confirmação do material genético ser compatível. “Eles se comportaram de maneira emocionada, como não poderia deixar de ser. Era uma família que esperava uma resposta do estado. Em um primeiro momento ficaram agradecidos por terem uma resposta mesmo 30 anos depois”.