Caso Madeleine McCann: investigadores falam sobre novas pistas que podem solucionar caso

As novas evidências prometem ligar o principal suspeito, Christian Brueckner, ao sequestro da criança, que desapareceu no dia 3 de maio de 2007

Resumo da Notícia

  • Investigadores afirmam que possuem provas que ligam o principal suspeito ao desaparecimento da menina
  • Medeleine desapareceu em 2007 durante férias em família
  • Christian Brueckner alega que é inocente

Ao The Sun, os investigadores por trás do caso de Madeleine McCann afirmaram que estão em “choque” após descoberta de novas  evidências que podem prender o principal suspeito, Christian Brueckner, de 44 anos de idade. A menina desapareceu em 2007 durante as férias com a família em Portugal. Ela estava com os pais, Kate e Gerry McCann, e os irmãos gêmeos que na época tinham 2 anos. Os pais haviam saído para jantar em um restaurante próximo onde deixaram a criança dormindo. Quando voltaram, a filha havia desaparecido.

-Publicidade-

As recentes provas foram descobertas por uma equipe de documentários do Sat.1, formada por ex-investigadores e jornalistas. Recentemente, o grupo está trabalhando em um documentário sobre o caso. Eles entregaram o conteúdo para os detetives e alegam terem provas de que Christian B estava perto da Praia da Luz na noite em que Madeleine desapareceu de seu quarto.

Christian B. é o principal suspeito do desaparecimento de Madeleine Mccan (Foto: Reprodução)

“A triste história de Madeleine McCann é uma história que tem muitas facetas alemãs. O caso está sendo julgado no Tribunal Regional de Braunschweig, pois o alemão Christian B. é o principal suspeito. Jutta Rabe pesquisou o material chocante na Alemanha, Portugal e Inglaterra nos últimos meses, o que incrimina fortemente Christian B.”, afirmou Juliane Ebling, editora-chefe do projeto. O documentário será exibido em horário nobre, mas ainda não possui data de estreia.

Principal suspeito

Em entrevista ao Mirror, o promotor alemão Hans Christian Wolters disse que os investigadores do caso de Madeleine McCann estão confiantes de que possuem provas o suficiente para acusar o suspeito Christian Brueckner, 44, que está cumprindo pena por outros crimes em uma prisão na Alemanha.

Os investigadores disseram que precisam de todas as evidências possíveis para poder incriminar Christian, para que não haja nenhuma brecha e ele possa ser absolvido. “Estamos confiantes de que temos o homem que a sequestrou e matou”, disse Wolters. “Agora é possível que possamos atacar. Temos evidências. Mas não se trata apenas de acusá-lo, queremos acusá-lo com o melhor conjunto de evidências possível.”.

Ela desapareceu no dia 3 de maio de 2007 (Foto: reprodução / The Sun)

As provas recolhidas se tratam de uma análise de telefone que mostra que Christian estava no Ocean Club na noite em que Madeleine desapareceu, e uma suposta confissão que o suspeito havia feito a um amigo. “É uma evidência circunstancial, não temos nenhuma evidência científica”, disse o investigador.

Wolters continuou dizendo que não haviam evidências de que a menina havia sido morta: “Não temos corpo nem DNA, mas temos outras evidências. Não posso dizer que presumimos que ela está morta. Mas, para nós, não há outra possibilidade. Não há esperança de que ela esteja viva”, disse ele.

O suspeito Christian Brueckner havia sido acusado de outros crimes como o assassinato de um adolescente na Bélgica, mas ele continua dizendo que não há ligação entre ele e o caso de Medeleine, e afirma ser inocente. Ele teria vivido em uma van perto da praia onde a família estava.

Madeleine desapareceu em 2007 durante as férias com a família em Portugal. Ela estava com os pais, Kate e Gerry McCann, e os irmãos gêmeos que na época tinham 2 anos. Os pais haviam ido jantar em um restaurante próximo onde deixaram a menina dormindo, e quando voltaram ela havia desaparecido.