Caso Madeleine McCann: polícia investiga novo cúmplice no sequestro

A Polícia de Portugal acredita que uma ex-namorada de Christian Bruckner, o principal suspeito do caso, também pode ter envolvimento no sumiço de Madeleine

Resumo da Notícia

  • A menina inglesa Madeleine McCann foi sequestrada em maio de 2007, enquanto passava férias com os pais em Portugal
  • O principal suspeito do sequestro é o alemão Christian Bruckner
  • A polícia acredita que uma ex-namorada de Christian também possa ter envolvimento com o crime
Uma ex-namorada do principal suspeito agora também é investigada pela polícia (Foto: reprodução / The Sun)

Depois de quase 13 anos sem conseguir pistas concretas sobre o desaparecimento de Madeleine McCann, no último mês de junho a polícia portuguesa finalmente achou provas que pudessem indicar um culpado pelo crime. Hoje, o principal suspeito é o alemão Christian Bruckner. Ele já foi acusado por abuso sexual de menores e na época do sequestro tinha uma casa na Praia da Luz (Portugal), a poucos quilômetros do hotel onde a família de Madeleine passava férias quando a menina desapareceu.

-Publicidade-

Agora, mais uma pessoa entrou para a lista de investigados. Nicole Fehlinger, uma ex-namorada de Christian, está sendo apontada como sua cúmplice. Uma reportagem divulgada ontem (17) pela emissora de TV portuguesa RTP mostrou que os dois roubavam juntos casas de praia na região do Algarve. Nicole, que também é alemã, era quem dizia quais eram as “melhores propriedades para invadir”.

Duas pessoas entrevistadas pela emissora disseram que, seis meses depois do desaparecimento de Madeleine, tiveram sua casa invadida pela dupla. Eles teriam roubado uma mala com 100 mil euros. Nicole trabalhava como babá para a família. Segundo as entrevistadas, ela frequentemente conversava por telefone em alemão com um homem. A suspeita é de que a pessoa com quem ela tanto falava seja Christian.

-Publicidade-

A polícia agora quer saber se foi Nicole quem ligou para o suspeito no dia do desaparecimento de Madeleine. Em 3 de maio de 2007, Christian recebeu uma chamada de mais ou menos 30 minutos, poucos tempo antes do crime. Acredita-se que era Nicole, dando as instruções de que a “barra estava limpa” para invadir o hotel.

A principal teoria das autoridades é de que, quando Christian entrou no apartamento em que Madeleine estava, sua intenção era apenas roubar. Mas, quando viu a menina dormindo, decidiu raptá-la.

Relembre o caso

Em maio de 2007, Madeleine McCann passava férias com a família na Praia da Luz, em Portugal, quando desapareceu do quarto onde dormia. Os pais, que são ingleses, dizem que deixaram a menina descansando no apartamento enquanto jantavam com amigos num restaurante a poucos metros de distância. Quando voltaram para checar se estava tudo bem, a menina já não estava mais no quarto. Na época, Madeleine tinha 3 anos de idade.

Nos últimos anos, a polícia portuguesa investigou vários suspeitos, mas sem chegar a nenhuma pista que pudesse indicar o paradeiro da menina. O caso teve tanta repercussão que em 2019 ganhou uma série na Netflix.

Há um mês os investigadores finalmente encontraram provas fortes o suficiente para apontar um possível culpado pelo desaparecimento. Hoje, o principal suspeito é o alemão Christian Bruckner. Ele já foi acusado por abuso sexual de menores e em 2007 tinha uma casa que ficava a poucos quilômetros do hotel onde a família de Madeleine estava hospedada.

    -Publicidade-