Caso Miguel: mãe conta qual a razão por trás do nome do filho

Mirtes Renata, abre o coração sobre os planos que tinha para o futuro, e porque escolheu batizar o garoto de Miguel Otávio. Entenda mais detalhes, sobre como ela sempre batalhou, para que ele tivesse uma vida cheia de oportunidades

Resumo da Notícia

  • Mãe de Miguel conta porque escolheu o nome do filho
  • Mirtes tinha grandes esperanças para carreira de sucesso do menino
  • Miguel morreu com 5 anos de idade após cair do nono andar de um prédio
Miguel caiu do 9º andar de um prédio no dia 2 de junho (Foto: reprodução / vídeo G1)

Muitas mães sonham com um futuro brilhante para os filhos. Você como mãe, com certeza já pensou nas oportunidades do seu filho se tornar um médico ou um advogado bem sucedido, antes mesmo dele nascer. Com a mãe de Miguel Otávio, não foi diferente. Mirtes Renata, de 33 anos, que perdeu o filho de 5 anos, após ele cair do nono andar de um prédio, conta sobre os planos que tinha para o futuro do garoto e até mesmo o significado do nome dele.

-Publicidade-

Mirtes que trabalhou a vida inteira como empregada doméstica e diversos trabalhos braçais, queria que o nome do filho fosse bonito e forte, digno de um profissionais bem sucedido. “O complemento é porque, na minha cabeça, tinha de combinar com ‘doutor’. Já imaginava ele como médico, advogado ou engenheiro: doutor Miguel Otávio”, explicou ela, segundo informações do Estadão

Miguel morreu no dia 2 de junho, quando estava pelos cuidados da patroa de Mirtes, Sarí Gaspar. Por conta da pandemia, o menino não podia ficar na escola enquanto a mãe trabalhava como doméstica e por isso precisou ir para o apartamento onde ela trabalhava. Quando Mirtes precisou descer com os cachorros da família, pediu para Sarí olha o garoto por apenas alguns minutos. E foi assim que Miguel, foi deixado de lado e acabou caindo do nono andar do prédio.

-Publicidade-

Hoje a lembrança que se tem de Miguel Otávio, é de uma criança que foi negligenciada. Sarí Gaspar, que chegou a ser presa após o episódio, pagou a fiança e está em casa novamente. “Ela confiava os filhos dela a mim de olhos fechados. Na primeira vez que ficou responsável por Miguel, entregou meu filho todo quebrado por dentro. Se fosse o contrário, ela estaria muito revoltada, ia fazer com que eu pagasse: eu estaria presa. Ela acabou com a minha vida, meus planos, meu futuro”, conta Mirtes, que está lutando por justiça. 

-Publicidade-