Caso Pavesi: Acontece julgamento de médico acusado pela retirada ilegal de órgãos do menino

O julgamento do caso do garoto que supostamente teve os órgãos retirados era pra ter ocorrido em outubro do ano passado. O menino morreu em abril de 2000 e o caso segue em andamento

Resumo da Notícia

  • Paulo Pavesi morreu com 10 anos, após cair do prédio onde morava
  • Supostamente, os médicos que cuidaram do garoto participavam de um esquema de tráfico de órgãos
  • Segundo denúncias do ministério público, a morte do garoto não foi por morte cerebral, e sim, por retirada dos órgãos

Está marcado para esta segunda-feira, 18 de abril, o julgamento de um dos médicos acusados pela morte do menino Paulo Veronesi, em abril de 2000. Acontece que a acusação é devido a retirada ilegal de órgãos do garoto. A sessão ocorrerá no Tribunal do Júri de Belo Horizonte. O médico Álvaro Lanhez deveria ter tido o julgamento em outubro de 2021, porém, o processo foi adiado pois o médico dispensou 8 advogados da própria defesa.

-Publicidade-
Supostamente, os médicos retiraram os orgãos do garoto ilegalmente
Supostamente, os médicos retiraram os órgãos do garoto ilegalmente (Foto: Reprodução / Getty Images)

No momento um defensor público e o advogado Luiz Chimicatti são a defesa do médico. Foi pedido um habeas corpus preventivo mas negado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais. O processo foi denunciado pelo Ministério Público, acusando o médico de um esquema de tráfico de órgãos com outros médicos.

Em janeiro do ano passado, dois médicos, José Luiz Gomes da Silva e José Luiz Bonfitto foram condenados a 25 anos de prisão. Outros médicos foram acusados na participação do caso. Sérgio Poli Gaspar, Celso Roberto Frasson e Cláudio Rogério Carneiros foram condenados em 1ª instância em 2014 mas a sentença foi anulada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais em 2016.

Sobre o caso Pavesi

Os médicos José Luís Gomes da Silva, José Luis Bonfitto, Março Alexandre Pacheco da Fonseca e Álvaro Lanchez foram denunciados pelo Ministério Público por homicídio qualificado de Paulo Veronesi, um garoto que tinha 10 anos.

O caso aconteceu em 2000 e o garoto tinha somente 10 anos
O caso aconteceu em 2000 e o garoto tinha somente 10 anos (Foto: Reprodução/ Arquivo pessoal)

Os quatro médicos foram acusados de procedimentos incorretos no garoto, ocasionando da morte e remoção de órgãos do garoto, após Paulo cair do prédio da onde morava, torno de 10 metros. O exame feito no corpo mostrou que a morte cerebral foi forjada e o garoto estava vivo no momento que os órgãos foram retirados.

O ministro Ribeiro Dantas falou que não houve controvérsia a respeito das denúncias e reconhecidas. Tanto para o Ministério Público de Minas Gerais, quanto para as instâncias ordinárias, os médicos realmente tiraram os órgãos de Paulo, causando a morte do garoto.