Caso raro! Bebê que nasceu com três braços passa por amputação em SP

O caso do bebê é muito raro e a equipe estuda a possibilidade de se tratar da junção de gêmeos siameses. Ao todo ele já passou por 6 cirurgias

Resumo da Notícia

  • Bebê que nasceu com três braços passa por amputação em SP
  • O bebê já passou por seis cirurgias
  • O caso do bebê é muito raro e a equipe estuda a possibilidade de se tratar da junção de gêmeos siameses

Um bebê que nasceu com três braços – além de uma série de outras situações clínicas – teve o terceiro braço amputado em uma cirurgia realizada na última quarta-feira, 23 de março. O caso é raro e o membro será levado para estudo e análise de uma equipe de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP).

-Publicidade-

Segundo informações do jornal Terra, o bebê, que mora com a família em Praia Grande – SP, nasceu com um braço extra que tem duas mãos, metade do coração, e outras deformidades, como o lado esquerdo do corpo diferente do lado direito. O terceiro braço contava com ossos e terminações nervosas.

Bebê nasce com três braços em caso raro
Bebê nasce com três braços em caso raro (Foto: arquivo pessoal / reprodução Terra)

Ao todo, César, que tem ano e sete meses, já passou por seis cirurgias. A mais recente, que foi a amputação do braço, foi feita pela equipe do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas de São Paulo.

O caso do bebê é muito raro e a equipe estuda a possibilidade de se tratar da junção de gêmeos siameses. Ao longo da gestação, um organismo teria combatido o outro, sobrando apenas alguns órgãos do segundo. A mãe só ficou sabendo da condição do filho depois do nascimento do bebê.

Marcelo Rosa de Rezende, chefe do grupo de mão do Instituto de Ortopedia e Traumatologia do HC, que participou de uma das cirurgias feitas em César, contou, em entrevista ao jornal Terra, que o caso é tão raro a ponto de existir apenas dois casos descritos na literatura médica brasileira até o momento. “Era duplicação do membro superior com um membro não funcional e, também, mão espelhada. Ele tinha duas deformidades raras na mesma situação”, contou ele.

Agora, a equipe médica vai continuar acompanhando o bebê para ver de perto o desenvolvimento dele e avaliar quais são os próximos passos.