Chacina do Paraná: Casal e 2 crianças morrem baleados em ataque a carro

Anderson Olívio Bueno Miranda e Bruna Bispo Dias, vítimas da chacina, deixaram bebê de menos de 1 ano que não sofreu ferimentos

Resumo da Notícia

  • Um casal e duas crianças foram mortas a tiros
  • Anderson Olívio Bueno Miranda e Bruna Bispo Dias estavam com a filha no carro
  • A bebê não foi atingida por nenhum dos 20 disparos do atentado

Na noite de ontem, segunda-feira, 08 de fevereiro, um carro sofreu ataques de pelo menos 20 tiros, no bairro Portão, em Curitiba. O atentado ao veículo, em que se acomodavam 7 pessoas, tirou a vida de um casal e duas crianças, de 2 e 7 anos.

-Publicidade-

Anderson Olívio Bueno Miranda, de 28 anos, e Bruna Bispo Dias, de 20 anos, morreram na hora. A filha do casal, uma bebê de quase 1 ano, não foi atingida e foi encaminhada pelo Conselho Tutelar para um abrigo da cidade. Ela foi um dos outros dois sobreviventes da chacina, sendo eles outro casal, pais da criança de 7 anos que não resistiu ao graves ferimentos.

Câmeras de segurança flagraram a ação dos criminosos. Na cena, os atiradores estacionam o veículo próximo do carro das vítimas e dispararam rajadas de tiros contra eles. De acordo com a polícia, o casal assassinado havia pedido carona para os amigos, que haviam conhecido um mês antes. O fato era recorrente e já havia acontecido outras três vezes.

 

O crime ainda é um mistério e a Polícia Civil investiga o caso. C

“Os sobreviventes marcaram um ponto de encontro no bairro de Curitiba e tinham dito que iriam resolver uma situação naquele local, sem passar mais detalhes. Eles estavam parados na rua, quando um Ford Ka parou ao lado do veículo e começou a disparar. Possivelmente, os atirados armaram uma emboscada e os alvos estavam sendo procurados e foram mortos por eles”, explica o delegado Thiago Nóbrega, responsável pelas investigações.

“Infelizmente, o carro estava cheio e com três crianças. As vítimas não sabiam do risco que corriam, já que estavam com os filhos. Tudo leva a crer que estamos vivenciando uma guerra de facções. Temos diversas facções conhecidas que estão se expandindo na cidade e no nosso estado. Temos o conhecimento de uma guerra atuante entre dois grupos rivais”, adicionou.

A polícia segue em busca dos culpados. Segundo eles, o carro usado no atentado tinha alerta de furto, placas clonadas e foi usado para o crime.