Chihuahua: esse pequeno marcante prova que tamanho não é documento

Há vários benefícios em ter um animal dentro de casa. Conheça um pouco mais sobre essa raça de cachorro que faz sucesso

Resumo da Notícia

  • Ter um pet é tudo de bom
  • Te mostramos algumas características do Chihuahua para quem pensa em ter essa raça
  • Confira tudo a seguir

Já dizia o ditado: tamanho não é documento. Apesar de ser considerado um dos menores cães do mundo, é impossível que o Chihuahua passe despercebido em qualquer lugar. Com o seu latido marcante e agilidade, é uma das raças mais antigas e demonstra muita coragem e valentia lidando com outros animais (muitas vezes, muito maiores do que ele), sendo opção perfeita como cão de guarda, já que ao notar qualquer barulho estranho, corre para checar o que está acontecendo.

-Publicidade-
Para seu filho brincar muito (Foto: iStock)

O Chihuahua é extremamente brincalhão e agitado, mas tem dificuldade para se dar bem com pessoas desconhecidas. Geralmente, essa raça apresenta pelos curtos, mas também existe uma variação com pelos longos, agradando a todos os estilos. Amável e leal, é uma companhia para todas as horas!

MARCANDO TERRITÓRIO 

Independente de quem já era da família, é importante preparar a criança ou o pet para a chegada do novo membro

-Publicidade-

Quando a criança chega antes:

– Deixe-a ajudar na escolha do animal e do nome

– Explique que o pet não é brinquedo, portanto sente dor e tem emoções

– Eduque-a para brincar, fazer carinho e corrigir o animal quando necessário

Quando o pet chega antes:

– Deixe que ele cheire o carrinho, berço e brinquedos do bebê

– Ensine-o, aos poucos, a se conter com pulos e latidos

– Não esqueça de recompensá-lo com petiscos sempre que fizer algo certo

Ter um animal na família pode fazer muito bem ao seu filho (Foto: reprodução Pinterest / Parents)

Rio 40 graus

Se nem a gente sabe lidar com esse calor, imagina os animais. Nessa época do ano, os cuidados com cães, gatos e animais silvestres deve ser redobrado, principalmente cães com focinho achatado, como bulldog francês/ inglês, pug, boxer e shitzu.

Marcello Machado, médico veterinário e gerente Técnico Nacional da Total Alimentos, dá algumas orientações de como lidar com esses membros tão especial da família durante essa época do ano!

1. Alimentação

No verão, o metabolismo dos pets fica mais lento e ele gasta menos energia para o funcionamento do organismo. Logo, cães e gatos tendem a comer menos no calor. Além disso, eles procuram as horas mais frescas do dia para comer, então você deve alimenta-lo de manhã ou de noite.

2. Banho

No verão, o ideal é que o tutor dê banhos nos cães de 15 em 15 dias. Mesmo que seja refrescante, o excesso de banho retira a proteção natural da pele e os expõe à alergias, fungos e doenças dermatológicas, que são ainda mais frequentes nos períodos quentes.

3. Hidratação

Cães e gatos precisam ter sempre água fresca, disponível em todos os momentos do dia. Os felinos precisam de mais atenção, pois, naturalmente ingerem menos água. “Oferecer água corrente, manter as vasilhas limpas, colocar gelo na água são dicas importantes para atrair o seu animal de estimação e incentivá-lo a tomar água”, aconselha Marcello.

4. Exposição ao sol

Assim como os humanos, os pets não podem ficar expostos durante os horários mais quentes do dia. O primeiro cuidado é com o asfalto e as calçadas. Passear por um tempo prolongado e em horários quentes pode causar queimaduras sérias nos coxins, as bolinhas da pata de cães e gatos. EVITE sair entre 10 e 16 horas e de preferencia para gramados.

5. Alergias

Alergias são causadas por vários motivos, principalmente por picada de pulgas e carrapatos, que são parasitas que ficam no ambiente durante bastante tempo. Coceira e lambidas excessivas são os sinais mais frequentes. Se você reparar nesse comportamento, procure um médico veterinário para que ele indique o melhor tratamento.

-Publicidade-