Cientistas descobrem nova espécie de dinossauro que chegou a atingir 13 metros de comprimento!

Antigamente os pesquisadores assumiram que ele era membro de outro grupo, mas só recentemente descobriram que se tratava de uma nova espécie

Resumo da Notícia

  • Cientistas descobrem nova espécie de dinossauro que chegou a atingir 13 metros de comprimento
  • Antigamente os pesquisadores assumiram que ele era membro de outro grupo
  • Só recentemente descobriram que se tratava de uma nova espécie

Alô, fãs de dinossauros! Cientistas descobriram recentemente uma nova espécie que chegou a atingir 13 metros de comprimento, cinco metros de altura e pesava até uma tonelada! De acordo com informações do jornal Daily Mail, ele era um ancestral do diplodocus.

-Publicidade-

Os pesquisadores relatam a descoberta de dois fósseis de crânio quase completos do dinossauro em Jameson Land, leste da Groenlândia. A nova espécie de dinossauro homenageia o idioma Inuit local – seu nome científico Issi saaneq significa ‘Osso Frio’.

Cientistas descobrem nova espécie de dinossauro que chegou a atingir 13 metros de comprimento!
Cientistas descobrem nova espécie de dinossauro que chegou a atingir 13 metros de comprimento! (Foto: reprodução Daily Mail)

Anteriormente confundido com uma espécie já existente, Cold Bone viveu durante o final do período Triássico, aproximadamente 214 milhões de anos atrás, quando o Leste da Groenlândia foi conectado à Europa. Ele pertence a um grupo de dinossauros de pescoço longo, chamados sauropodomorfos, que inclui os saurópodes.

Uma equipe internacional de paleontólogos do Brasil, Portugal, Alemanha e Dinamarca detalhou a espécie em estudo publicado na revista Diversity. “Comparado com os dinossauros de pescoço longo que vieram depois, Issi seria um animal muito pequeno”, disse o autor do estudo, Victor Beccari, da Universidade Nova de Lisboa, Portugal. “Alguns saurópodes podem atingir mais de 80 pés de comprimento e pesar mais de 65 toneladas”, completou.

Issi era um dinossauro de pescoço lingo de tamanho médio e o primeiro sauropodomorfo a atingir latitudes acima de 40 graus ao norte (mais ou menos no nível do centro da Espanha e do norte da Califórnia). Os restos mortais – dois crânios quase completos – foram recuperados por paleontólogos da Universidade de Harvard em expedições à Groenlândia no início dos anos 1990, mas os cientistas apenas estudaram adequadamente os restos mortais e os classificaram como uma nova espécie atualmente.

Os crânios foram encontrados em 1990, mas só foram completamente estudados atualmente
Os crânios foram encontrados em 1990, mas só foram completamente estudados atualmente (Foto: reprodução Daily Mail)

Para o estudo do material, ambos os crânios foram digitalizados por micro-tomografia computadorizada e segmentados, o que permitiu a visualização de estruturas internas e ossos que ainda estavam cobertos por sedimentos. Os pesquisadores, então, criaram modelos 3D dos restos mortais que estão disponíveis para download no site MorphoSource.

Os dois crânios pertenceram a um jovem e a um possível subadulto. As diferenças entre os dois são menores e referem-se apenas a proporções, mostrando que são da mesma espécie. “Os dois crânios são únicos em muitos aspectos de sua anatomia, como as proporções e formas dos ossos”, disse Beccari. “Esses espécimes certamente pertencem a uma nova espécie”, concluiu.