Cinzas do vulcão de Tonga deixam céu em tons rosados no Sudeste do país

Hunga Tonga-Hunga Haa’pai cobriu o pequeno país da Oceania de cinzas no dia 15 de janeiro e provocou um tsunami em todo o Oceano Pacífico, causando mortes até no Peru

Resumo da Notícia

  • Cinzas do vulcão de Tonga chegam ao Brasil;
  • Moradores do Sudeste notaram o céu avermelhado em diversos locais da região;
  • A erupção do Hunga Tonga-Hunga Haa'pai aconteceu em 15 de janeiro;
  • Além de cobrir o pequeno país da Oceania de cinzas, também provocou um tsunami em todo o Oceano Pacífico

Na última quarta-feira, 26 de janeiro, moradores do sudeste brasileiro foram surpreendidos na última semana por céus em tons de laranja, rosa e vermelho no céu em vários pontos de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo. Na imagen abaixo, é possível conferir os tons rosados, próximos ao púrpura.

-Publicidade-
Registro feito por por Talitha Rohden na praia de Mongaguá
Registro feito por por Talitha Rohden na praia de Mongaguá (Foto: Reprodução/TV Globo)

Segundo especialistas, o fenômeno visto no céu é resultado da chegada ao país das cinzas do vulcão Hunga Tonga-Hunga Haʻapai, que entrou em erupção no dia 15 de janeiro, há mais de 13 mil quilômetros de distância.

De acordo com o Climatempo, há possibilidade de o colorido no céu ser observado por mais algumas semanas, se as nuvens permitirem. A erupção do vulcão em Tonga devastou áreas próximas, liberou 400 mil toneladas de dióxido de enxofre na atmosfera, e suas cinzas e gases atingiram a estratosfera, o que ocorre apenas em episódios de grande intensidade.

Entenda o caso

O vulcão submarino Hunga Tonga-Hunga Haa’pai, que fica no arquipélago de Tonga, entrou em erupção no último sábado, 15 de janeiro, e causou um tsunami no Oceano Pacífico, que deixou mortos até no Peru e foi sentido até no Alasca.

Moradores ouviram sons de explosões na hora da erupção. Houve interrupção nas linhas telefônicas e de internet, e no fornecimento de energia em toda a Tongatapu, ilha principal do arquipélago, onde fica a capital Nuku’alofa. O governo convocou militares para ajudar.