Coisa de outro mundo! Meteorito valioso de 4 bilhões de anos cai na garagem de família

O fragmento de asteroides deixou os cientistas de boca aberta pelo tamanho do valor científico do achado, pois ela pode conter informações da formação do sistema solar

Resumo da Notícia

  • Um meteorito de mais de 4 bilhões de anos, caiu na garagem de uma família inglesa
  • O fragmento de asteroides pode conter informações da formação do sistema solar
  • O pedregoso que retém a química inalterada da formação de nosso Sistema Solar, há 4,6 bilhões de anos

Parece história de filme, mas não é! Um meteorito de mais de 4 bilhões de anos, caiu na garagem de uma família inglesa. A rocha espacial deixou os cientistas de boca aberta pelo tamanho do valor científico do achado, pois ela pode conter informações da formação do sistema solar.

-Publicidade-
Família encontra meteorito valioso de 4 bilhões de anos no quintal (Foto: Reprodução / BBC)

O meteorito caiu no final de fevereiro em Gloucestershire, na Grã-Bretanha. A filha do casal Wilcock, Hannah, ouviu um barulho do lado de fora da janela, mas como estava escuro e ela não conseguiu ver o que era. Sem imaginar, a menina falou com a mãe Cathryn, que talvez pudesse ter sido o carvão de uma churrasqueira.

Para a surpresa da família, o que havia caído no quintal da família, na verdade, era composto por condrito carbonáceo – material escuro e pedregoso que retém a química inalterada da formação de nosso Sistema Solar, há 4,6 bilhões de anos.

-Publicidade-

Ao chamar especialistas para checar a rocha de outro mundo, o cientista planetário da Open University, Richard Greenwood, olhou para o meteorito no quintal da família e ficou pasmo e foi checar ‘in-loco’. “Foi um daqueles momentos em que suas pernas começam a ficar bambas. Eu vi essa coisa e tinha raios saindo dele. Eu pensei – isso é um meteorito. Foi instantâneo”, disse à BBC.

O meteorito pode conter informações da formação do sistema solar (Foto: Reprodução / BBC)

Com todo o alvoroço que se seguiu à descoberta, a reação inicial da família foi tentar ficar fora dos holofotes. Mesmo o meteorito podendo render um bom dinheiro para eles, os Wilcock reconheceram que meteoroide servisse para a ciência, ao invés das prateleiras de um colecionador. “Estamos absolutamente entusiasmados que algo que será tão valioso para a ciência, para a compreensão humana do mundo e do Sistema Solar tenha acontecido, e que possamos ser uma pequena parte disso”, disse o pai, Rob.

A última queda de meteorito que aconteceu no Reino Unido foi há 30 anos. Era um “condrito comum” – um tipo comum de rocha espacial. Já o meteorito dos Wilcock é muito mais valioso. Estudar a química – e o que ela pode nos dizer sobre as condições que levaram à construção dos planetas – manterá os cientistas ocupados por anos!