Como apoiar o seu filho nos estudos em casa sem perder o foco

É importante manter o ritmo nesse período e o suporte dos pais fará toda a diferença no processo. Veja algumas dicas para garantir o aprendizado das crianças

Resumo da Notícia

  • Com o isolamento social, as escolas passaram a dar aulas online
  • As famílias precisam se adaptar, mas os pais não devem se sentir na obrigação de substituir os professores
  • A ideia é estimular e manter o ritmo de aprendizado para que a criança entenda que não está de férias
  • Separamos algumas dicas para te ajudar a incentivar o seu filho nos estudos
Parceria entre pais e filhos é mais do que nunca fundamental (Foto: Getty Images)

Nesse período de isolamento social, várias escolas em todo o Brasil interromperam as atividades presenciais e passaram a oferecer os conteúdos online. Embora muitas mudanças impactaram a rotina das crianças, é fundamental manter uma certa organização para que elas entendam que este período não é férias e os estudos precisam continuar. Mas sem pressão, ninguém espera que você substitua o papel do professor, apenas estimule a criatividade e ajude a manter o ritmo para quando a escola retomar as atividades. 

-Publicidade-

Consultamos Tatiane de Sá Manduca, psicóloga clínica, autora do livro Valida-te e mãe de Mateus para compartilhar algumas dicas que possam te ajudar a incentivar o seu filho nos estudos durante esse momento longe das salas de aula:

Atenção ao lugar

É importante montar um ambiente organizado e livre de distrações para manter a criança concentrada. “Ter um lugar para estudar é muito positivo para que ela mantenha a atenção e entenda que aquela hora ali é destinada para fazer essa atividade”, explica. Na escolha do ambiente, o melhor é evitar sala com TV ou que tem muita movimentação. Se possível, também vale usar uma escrivaninha ou mesa para realizar as tarefas. Cama não é uma boa opção. 

-Publicidade-

Cada um com o seu papel

Apoiar significa estar presente, mas não fazer tudo por ele. Muito pelo contrário, esse momento longe das salas de aula pode ajudar seu filho a entender que estudar é responsabilidade dele. “Essa consciência permite desenvolver a autonomia desde pequeno. É uma forma da criança respeitar o seu tempo e os pais também”, pontua. Além disso, com a ausência de professor, a criança pode se sentir perdida e uma figura adulta pode colaborar para incentivar esse hábito

Coloque os “pingos nos Is”

Ajude a criança a reorganizar a rotina, adequando a nova realidade às obrigações do dia a dia. É fundamental dar voz para seu filho nesse momento e envolvê-lo no processo, para que ele seja motivado a cumprir com o combinado. Isso significa destinar tempo para os estudos, mas também para o lazer. Tatiane justifica: “Nós já estamos vivendo com um relógio desregulado. Definir horários ajuda a criança a se sentir segura”.

A motivação faz toda a diferença para que seu filho continue estudando (Foto: iStock)

Oi, sumido

As crianças estavam acostumadas a trocar experiências com os amigos da escola e essa mudança pode ser brusca. “Algumas estão sofrendo muito, porque eram apegadas aos colegas. Às vezes, tudo o que eles precisam é ver o amigo”, diz. Por isso, apesar de não estarem mais em contato direto, vale promover essa conexão por meio de aparelhos eletrônicos. Eles podem tirar dúvidas por meio de uma chamada de vídeo, por exemplo, ou até realizar a atividade em paralelo. Essa interação pode melhorar o humor e a produtividade. 

O professor também pode ajudar

Mesmo distantes fisicamente, é interessante manter uma relação de diálogo com a escola. No caso de dúvidas sobre um exercício ou até para compartilhar experiências, você pode conversar com algum professor ou responsável da instituição, “até porque depois dessa fase iremos exigir ainda mais da escola”, completa. Lembre-se que esse período é novo para todo mundo e essa troca pode ajudar os dois lados, agora e no futuro.

A verdade é sempre o melhor caminho

Não está sendo fácil e se nem os adultos conseguem entender a situação completamente, imagina as crianças. Por isso, não esconda os fatos. É importante manter o diálogo aberto em casa também para que seu filho possa tirar qualquer dúvida e se sentir confortável para expressar as emoções. “É em casa que as crianças aprendem a ter cada vez mais condições de adentrar ao mundo real. Elas percebem que algo mudou, o caminho não é esconder, mas validá-los”, opina. 

De olho na saúde

Assim como é importante manter o ritmo dos estudos, é fundamental que as crianças continuem praticando exercícios físicos. Esse momento ajuda a manter a mente e o corpo saudáveis: “Essa atividade libera vários hormônios e é fundamental para regular o humor”. Use os espaços e objetos que têm em casa, ou até aplicativos para te ajudar nessa missão.

Saindo da “caixinha”

A criatividade é uma boa aliada nesse momento. Com tanto tempo em casa, as crianças ficam entediadas. Alguns jogos e desafios em família podem quebrar essa monotonia, além de ser uma grande fonte de aprendizado, sobre como trabalhar em grupo, lidar com a derrota ou vitória, e muito mais. “Muitas vezes, acreditamos que a criança só aprende por meio das aulas, mas o que confere o aprendizado pedagógico é justamente o jogo, filme ou história que contamos. O aprendizado está presente no dia a dia”, conclui.

É possível aprender brincando (Foto: iStock)

-Publicidade-