Como prevenir a família das alergias de inverno?

Os cuidados com a saúde precisam ser redobrados nas estações mais frias do ano. Tire suas dúvidas e proteja a família toda contra doenças respiratórias

Resumo da Notícia

  • As alergias são respostas do sistema imunológico a corpos estranhos
  • Há formas de prevenir e tratar as alergias, mas é importante tomar alguns cuidados para proteger a família
  • Em parceria com Histamin, fizemos uma live para você tirar todas as suas dúvidas

As alergias podem prejudicar – e muito! – a vida de toda a família. Ela surge como uma resposta do sistema imunológico a ‘corpos estranhos’ dentro do nosso organismo e costuma ser mais comum nas épocas mais frias do ano, por conta das aglomerações em ambientes fechados. Porém, com algumas dicas, é possível prevenir e reduzir os riscos dessas alergias o ano todo. Em parceria com Histamin, marca com a missão de ajudar os alérgicos a terem uma vida mais inclusiva, realizamos uma live para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto com a participação da Dra. Brianna Nicoletti, alergista e imunologista pela USP, médica especialista há mais de 12 anos, mãe de Felipe e João Pedro; e Amanda Pereira, influenciadora, atriz e administradora. Trabalha com comunicação e é mãe de Jorginho e João.

-Publicidade-
Duas crianças são infectadas com raiva humana em MG
As alergias merecem atenção e cuidado, uma vez que podem ser prevenidas ou até mesmo reduzir o efeito dos sintomas (Foto: Getty Images)

A especialista iniciou o papo explicando o que são as alergias: “Elas são resultado de algo que entramos em contato no dia a dia (ácaros, poeira, fungos, alimentos, insetos…) e que nosso sistema imunológico entende como estranho e gera uma reação inflamatória alérgica”. A Dra. Brianna ainda complementou que o nosso corpo é capaz de guardar a memória imunológica daquele corpo estranho e justamente por isso, sempre que entra em contato com ele, gera essa reação. Uma questão importante levantada é que só se descobre a alergia no momento em que você entra em contato com o causador dela e a alergista acrescentou: “Assim como o nosso sistema imunológico está em constante transformação, a alergia pode acontecer em qualquer momento – diante de uma mutação imunológica que o nosso corpo passa a reconhecer algo como estranho e alergênico”.

Na sequência, a Dra. ainda comentou que as alergias fazem parte de um mesmo contexto e, sim, se comunicam, por isso uma alergia pode levar a outras. Portanto, ela enfatizou a necessidade de manter o corpo em equilíbrio, já que o corpo fica mais vulnerável e fragilizado. Amanda explicou que tem bastante alergia, principalmente rinite alérgica, assim como os filhos: “O Jorginho começou a ir para a escola e já apareceu com um resfriado, com sintomas que oscilavam ao longo do dia e na sequência ele apresentou uma otite”. A especialista justificou que as alergias abrem caminho para outras doenças, porque as “portas de entrada” do corpo ficam mais frágeis: “Principalmente para as crianças, no início da convivência escolar, que está em desenvolvimento imunológico”.

Como diferenciar alergia de um resfriado?

Principalmente no inverno, as alergias e doenças respiratórias são mais comuns. A Dra. Brianna explicou que é difícil diferenciar os sintomas, porque são similares, mas pontuou: “Geralmente, as pessoas alérgicas, já tem algum sintoma e tem uma piora. O resfriado pode vir de repente com esses sintomas”. Ela ainda acrescentou que as rinites virais, por exemplo, além de espirros, coriza, coceira, também vem acompanhada de outros sintomas, como cansaço, alteração de apetite, dor de cabeça, dor no corpo… “Esse conjunto faz a gente diferenciar uma alergia de uma infecção viral”, contou.

A especialista pontuou que é possível prevenir alergias: “O primeiro passo no tratamento de qualquer alergia e até para prevenção é trazer o melhor ambiente que você puder com menos exposição a aeroalérgenos e outras proteínas alergênicas”, e ainda deu algumas dicas: sempre manter a casa ventilada, deixar bater sol ou colocar travesseiros e colchão no sol, usar capa antialérgica no colchão e travesseiro, lembrar de trocar o colchão e travesseiro a cada 8-10 anos.

Alergias merecem atenção de todos

Dra. Brianna destacou que muitas alergias pioram no inverno, mesmo não tendo relação com questões respiratórias e falou sobre as alergias de pele: “Fica muito seco e frio e tira a camada de oleosidade da pele que é tão importante”. “Os mecanismos para as alergias são diversos, mas para alergia alimentar, alergia à picada de inseto, eles podem ser muito parecidos com a alergia respiratória”, acrescentou. Amanda contou que quando criança levou algumas picadas de abelha na mão e passou por uma reação alérgica grave: “Em pouco tempo minha mão inchou e eu precisei ir ao hospital”, depois em outra oportunidade em que tinham usado spray e ela passou muito tempo inalando, também precisou recorrer ao médico: “Esses dois episódios me fizeram entender que alergia deve ser tratada com seriedade e acompanhada por especialista”. A alergista concordou com esse posicionamento.

Durante o papo, foi enfatizado a importância da inclusão e socialização das crianças alérgicas em todos os espaços, além da necessidade da rede de apoio. Amanda falou que troca bastante experiência com a escola, rede de apoio e pessoa que cuida dos filhos justamente para que saibam como agir caso algo aconteça, além de ajudar com formas de prevenção. E a especialista enfatizou a necessidade de que todos os pais e cuidadores tenham esse cuidado. Para assistir à live completa, veja o vídeo abaixo. Histamin possui uma série de produtos destinados a aliviar os sintomas da alergia. Eles podem ser encontrados em formato de creme, comprimido e xarope que são capazes de aliviar aqueles sintomas que atrapalham a vida da gente.

Histamin. Maleato de dexclorfeniramina. Comprimido. MS 1.5584.0573. Xarope. MS 1.5584.0373. Indicações: tratamento de alergias, prurido, rinite alérgica, urticária, picada de inseto, conjuntivite alérgica, dermatite atópica e eczemas alérgicos. Creme. Indicações: para o alívio do prurido, alergias, coceiras, urticária e picada de inseto. MS 1.5584.0373. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO – JUNHO/2022