Família

Conheça a família brasileira que pretende dar volta ao mundo em um motorhome

No blog "Mundo em Família", eles documentam todos lugares que visita

Redação Pais&Filhos

Redação Pais&Filhos

(Foto: Instragram/Reprodução)

O motorhome possui 15 metros de comprimento. (Foto: Instragram/Reprodução @deia_mundoemfamilia.com.br)

Na estrada há mais de um ano, Rodrigo Nunes e Andreia Razze e os seus três filhos,  pretendem passar sete anos nas estradas de mais de 80 países no mundo. É isso mesmo que você acabou de ler, a casa dessa família brasileira é um motorhome. O objetivo dos pais de Lucas, de 18 anos, Laura, 6 e Mariana de 7 é amplificar ao máximo a experiência do viver dos filhos.

Em entrevista ao G1, Rodrigo contou que no início, a esposa ficou receosa com a ideia, mas no final decidiu abandonar o trabalho estável de 20 anos e mergulhar com tudo no sonho de viajar com a família. Andreia faz questão de dizer que não se arrependeu da sua escolha“Não sabia se estava fazendo a coisa certa e hoje eu tenho certeza que é a melhor coisa que eu fiz. Estava enfiada no trabalho e não via outra coisa a não ser trabalhar, trabalhar e trabalhar”, contou.

A família já percorreu grande parte do território brasileiro, e a última parada foi em Goiânia. Após passear pelo país, eles tem a expectativa é percorrer cerca de 150 mil km ao longo do mundo, passando pela América do Norte e Europa. No blog “Mundo em Família” eles dividem todas as experiências dessa jornada divertida e maluca!

(Foto: Instragram/Reprodução)

Registro da família assistindo o jogo do Brasil, na copa. (Foto: Instragram/Reprodução @deia_mundoemfamilia.com.br)

Casa sobre rodas

O pai de três filhos e escritor explicou que existem várias vantagens em morar em um ônibus de viagem, mais conhecido por motorhorme, e as principais são: não ter que pagar imposto e não precisar conviver com vizinhos chatos. “É a casa nossa já há um ano e três meses e é o que a gente pretende nos próximos sete anos, manter-nos vivendo aqui. Não precisa pagar IPTU, por exemplo e se o vizinho é chato, a gente aciona o motor e vai embora. Se o vizinho é gente boa e o lugar é gostoso, dá para ficar curtindo mais”, brincou.

O custo de viver assim

O que muitas pessoas podem se questionar é como a família faz para se manter financeiramente na estrada. Segundo Rodrigo, o custo da viagem é feito exclusivamente pela venda do livro escrito por ele contando sobre suas experiências. “A gente não tem o patrocínio, não tem o dinheiro guardado e não tem uma