Conheça as maiores pandemias da história: novo coronavírus até a peste bubônica

A doença foi registrada pela primeira vez na China, a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou o novo coronavírus uma pandemia na última semana

Resumo da Notícia

  • Pandemias no mundo
  • Coronavírus foi declarado pandemia
  • Outras pandemias que já aconteceram

O coronavírus foi registrado pela primeira vez na China no final de 2019. Entretanto, devido à alta taxa de transmissibilidade, o vírus se espalhou pelo mundo e chegou aos cinco continentes, desse modo a OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou o novo coronavírus uma pandemia na última semana.

-Publicidade-

O novo coronavírus tem índice de letalidade de 3,4%, conforme apontado pela OMS em 3 de março, mas este salta para 15% quando direcionado aos grupos de risco, como por exemplo os idosos. O vírus graças à alta taxa de transmissibilidade, pode infectar até 70% da população mundial, ou seja, mais de 5 bilhões de pessoas – de acordo com um grupo de pesquisadores da Universidade Harvard, nos Estados Unidos.

(Foto: Unsplash)

Diante desse cenário, o novo coronavírus já é tido como uma das maiores pandemias da história da humanidade. Já ocorreu diversas pandemias no mundo, como por exemplo;

-Publicidade-

Peste bubônica

Infecção bacteriana rara, mas grave, que é transmitida por pulgas. A peste bubônica é causada pela bactéria Yersinia pestis. Pode se disseminar pelo contato com pulgas infectadas. Os sintomas incluem inchaço dos gânglios linfáticos, que podem ficar grandes como ovos de galinha, na virilha, na axila ou no pescoço. Eles podem ser sensíveis e quentes. Outros sintomas incluem febre, calafrios, dor de cabeça, fadiga e dores musculares. A peste bubônica requer tratamento hospitalar urgente com antibióticos fortes.

Varíola

A varíola de ocorrência natural foi destruída em todo o mundo em 1980. Além de sintomas semelhantes aos da gripe, os pacientes também apresentam irritação na pele que aparece primeiro no rosto, nas mãos e nos antebraços e, posteriormente, no tronco. Não há tratamento ou cura para a varíola. Uma vacina pode preveni-la. No entanto, o risco de efeito colateral da vacina é muito elevado para justificar a vacinação de rotina em pessoas com baixo risco de exposição ao vírus.

Cólera

Doença bacteriana que causa diarreia grave e desidratação, normalmente transmitida pela água. A cólera é fatal se não for tratada imediatamente. Os principais sintomas são diarreia e desidratação. Raramente, choque hemorrágico (quando uma pessoa perde mais de 20% do sangue ou fluido corporal) e convulsões podem ocorrer em casos graves. O tratamento inclui reidratação, transmissão intravenosa de fluidos (IV) e antibióticos.

Tuberculose

Doença bacteriana infecciosa. Afeta principalmente os pulmões e pode ser grave. As bactérias que causam a tuberculose são espalhadas quando uma pessoa infectada tosse ou espirra. A maioria das pessoas infectadas com a bactéria que causa a tuberculose não apresenta sintomas. Quando ocorrem, os sintomas geralmente incluem tosse (às vezes, com sangue), perda de peso, sudorese noturna e febre. O tratamento nem sempre é necessário para pacientes assintomáticos. Os pacientes com sintomas manifestos precisam de um longo tratamento com vários antibióticos.

Gripe Espanhola

Causada pelo vírus Influenza, é uma gripe forte que se propaga pelo ar. A epidemia do começo do século XX foi batizada de “Gripe Espanhola” em virtude do surto ter se iniciado, com mais intensidade, na Espanha. Contudo, o vírus não tem origem em terras espanholas.

HIV

A sigla em inglês do vírus da ‘imunodeficiência’ humana. Causador da aids, ataca o sistema imunológico, responsável por defender o organismo de doenças. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+. E é alterando o DNA dessa célula que o HIV faz cópias de si mesmo.

Gripe Suína – H1N1

A gripe H1N1 é uma doença provocada pelo vírus de mesmo nome, cujos sintomas são semelhantes aos da gripe comum. Entretanto, é preciso ficar atento a alguns sinais para procurar ajuda médica.

 

Até o momento há mais de 220 mil casos confirmados e quase 10 mil mortos no mundo todo. O Brasil, assim como vários países, tem adotado medidas para restringir a circulação de pessoas. A quarentena abrange o fechamento de comércios e de repartições públicas, suspensão de aulas e fechamento de fronteiras. Segundo os especialistas, o isolamento social é a melhor medida para frear a disseminação do vírus.

Agora, você pode receber notícias da Pais&Filhos direto no seu WhatsApp. Para fazer parte do nosso canal CLIQUE AQUI!

-Publicidade-