Covid-19: apenas 28% das crianças receberam a primeira dose da vacina contra o vírus

Os dados do consórcio de veículos de imprensa foram divulgados nesta última segunda-feira, 14 de fevereiro

Resumo da Notícia

  • Apenas 28% de crianças foram vacinadas no Brasil
  • Essa porcentagem representa 23 estados e o Distrito Federal
  • A OMS recomenda a imunização das crianças

Nesta última segunda-feira, 14 de fevereiro, os dados do consórcio de veículos de imprensa foram divulgados afirmando que apenas 28,61% de crianças receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19.

-Publicidade-

Apenas 23 estados e o Distrito Federal divulgaram números da vacinação das crianças de 5 e 11 anos. No entanto, o Amapá não informou o total de doses aplicadas. No total, 5.865.375 de crianças receberam a primeira dose no país. m. Já a população brasileira, em geral, tiveram 153.038.661 de pessoas vacinadas contra o vírus, representando 71,24% em geral.

Outros Estados do Brasil já haviam antecipado a dose de reforço no calendário vacinal
A Organização Mundial da Saúde informou que defende o uso da Pfizer para vacinar crianças entre 5 e 11 anos (Foto: Freepik)

No dia 21 de janeiro, durante uma coletiva, a Organização Mundial de Saúde (OMS) passa a recomendar o imunizante da Pfizer para a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos contra a Covid-19.

A decisão foi informada pelo presidente do Grupo Consultivo de Vacinas da Organização Mundial da Saúde (OMS), SAGE, Alejandro Cravioto, durante coletiva de imprensa: “Atualizamos as recomendações provisórias deste produto [a vacina da Pfizer] para estender a indicação de idade para 5 anos, com uma dosagem reduzida para aqueles de 5 a 11 anos”.

O representante do órgão garantiu a segurança do produto e afirmou: “Gostaria de deixar claro que nós nunca recomendaríamos uma vacina que não tem registros consistentes de segurança, após revisar todos os estudos e evidências”.

O imunizante já havia sido recomendado para pessoas maiores de 12 anos e as conclusões para reduzir a faixa etária foram feitas a partir de uma reunião de especialistas na última quarta-feira, 19 de janeiro. Leia a matéria completa aqui.