Covid-19: Bahia confirma caso de reinfecção com mutação encontrada na África do Sul

A paciente é uma mulher de 45 anos que vive em Salvador. Segundo pesquisadores, a doença se manifestou de maneira mais agressiva da segunda vez

Resumo da Notícia

  • Outro caso de reinfecção pela Covid-19 no Brasil foi confirmado nesta sexta-feira pelo governo do estado da Bahia
  • Dessa vez, o vírus detectado foi uma mutação com maior capacidade de transmissão encontrada originalmente na África do Sul
  • De acordo com informações do G1, trata-se do primeiro caso de reinfecção dessa cepa no país

Outro caso de reinfecção pela Covid-19 no Brasil foi confirmado nesta sexta-feira, 8 de janeiro, pelo governo do estado da Bahia. Dessa vez, o vírus detectado foi uma mutação com maior capacidade de transmissão encontrada originalmente na África do Sul. De acordo com informações do G1, trata-se do primeiro caso de reinfecção dessa cepa no país.

-Publicidade-
O caso foi confirmado nesta sexta (Foto: Unsplash)

A paciente é uma mulher de 45 anos que vive em Salvador. Ela havia testado positivo para o coronavírus pela primeira vez em 20 de maio de 2020, se infectando novamente em 26 de outubro. Ela está sendo acompanhada por pesquisadores do Instituto D’Or de Ensino e Pesquisa (IDOR) e do Hospital São Rafael.

Segundo os centros de pesquisa, a doença apareceu em uma forma mais grave e a paciente sente sintomas mais severos. Os dois diagnósticos do vírus foram feitos por testes RT-PCR, referência na área.

-Publicidade-

“Trata-se do primeiro caso de reinfecção por SARS-CoV-2 no estado da Bahia, confirmado por sequenciamento. Foi observada na sequência genética do vírus presente no segundo episódio a mutação E484K, que é uma mutação identificada originalmente na África do Sul”, esclareceu o pesquisador Bruno Solano, em entrevista ao G1.

Mutação é mais infecciosa

A informação foi divulgada pelo governo da Bahia (Foto: Unsplash)

A mutação, referenciada como E484K, é uma das cepas da Covid-19 que estão relacionadas ao aumento da transmissão e da infecciosidade da doença. De acordo com o pesquisador, esse novo tipo de vírus é preocupante porque dificulta a ação dos anticorpos.

“Tem causado muita preocupação no meio médico, pois ela pode dificultar a ação de anticorpos contra o vírus. Esta mutação foi recentemente identificada no Rio de Janeiro, mas é a primeira vez, em todo o mundo, em que é associada a uma reinfecção por SARS-CoV-2”, explicou.