Covid-19: Brasil confirma dois casos da Deltacron, segundo Ministro da Saúde

A variante apareceu no Amapá e no Pará de acordo com Marcelo Queiroga

Resumo da Notícia

  • Dois casos de Deltacron foi confirmado no Brasil
  • Segundo o Ministro da Saúde os casos são no Amapá e no Pará
  • Deltacron é a mutação das variantes Delta e Ômicron

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, confirmou nesta terça-feira que dois casos da variante Deltacron do coronavírus foram confirmados no Amapá e no Pará. A mutação é uma junção das variantes Delta e Ômicron, e até o momento não havia sido localizada no país.

-Publicidade-

“Tudo o que acontece nos países nós observamos. Por exemplo, essa variante, em que seria uma junção da Ômicron com a Delta, a Deltacron, que tem mais na França e em alguns outros países da Europa, nosso serviço de vigilância genômica já identificou dois casos no Brasil, um no Amapá e outro no Pará, e nós monitoramos todos esses casos”, afirmou.

Variante Deltacron é confirmada no Brasil
Variante Deltacron é confirmada no Brasil (Foto: Getty Images)

Questionado sobre o nível de preocupação a respeito da nova variante, Queiroga ressaltou que as medidas sanitárias devem se manter as mesmas e reforçou a importância da dose de reforço da vacina da Covid-19.

“Essa variante é uma variante de importância que requer o monitoramento. Então as variantes são classificadas como variantes de importância, variantes de preocupação. E as autoridades sanitárias estão aqui para diante desta situação tranquilizar a população brasileira. As medidas são as mesmas, e se eu tivesse que indicar uma medida é a aplicação da dose de reforço”.

Origem Deltacron

Um estudo preliminar que foi divulgado na última quarta-feira, 9 de março, apresentou uma recombinação da variante delta com a ômicron. A nova combinação foi identificada em três pacientes na França e recebeu o nome de “Deltacron”. A pesquisa, no entanto, ainda segue em fase preliminar e não foi publicada em revistas científicas.

Em entrevista à agência Reuters, Philippe Colson, do Ihu Méditerranée Infection e principal autor do estudo, disse que a versão identificada do vírus combina da proteína S da ômicron com o “corpo” da delta.