Covid-19: CoronaVac deve estar disponível para vacinação em janeiro de 2021

Segundo o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, o imunizante deverá ficar disponível para ser aplicado na população no próximo ano

Resumo da Notícia

  • Segundo o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, o imunizante deverá ficar disponível para ser aplicado na população no próximo ano
  • O imunizante está na ultima fase de testes e já tem previsão de distribuição no Brasil
  • A CoronaVac é produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan

Nesta quinta-feira, 3 de dezembro, Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, anunciou que a vacina candidata contra o novo coronavírus, CoronaVac, produzida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, deverá ficar disponível para ser aplicada na população em janeiro de 2021.

-Publicidade-
O imunizante está na ultima fase de testes e já tem previsão de distribuição no Brasil (Foto: iStock)

Segundo informações do G1, o diretor  afirmou que a  vacina está ‘muito próxima de ser registrada’ na Anvisa. Ele também e afirmou que vacinação será feita com ou sem financiamento do governo federal.

“A vacina estará disponível e o registro na Anvisa, acredito eu, também estará disponível. Então, poderemos iniciar um programa em janeiro, acredito, de vacinação. E espero [que] com o apoio do Ministério [da Saúde], apesar de todas essas declarações que não citam nominalmente a vacina do Butantan. A nossa expectativa é a de que a vacina seja incorporada, inclusive atendendo ao que o próprio ministro fala, sem citar a vacina, de que a vacina que estiver disponível e registrada, será incorporada”, afirmou.

Nesta última terça-feira, 01 de dezembro, o governo federal divulgou um calendário de vacinação, como uma estratégia “preliminar” para a vacinação dos brasileiros, nele a CoronaVac não é citada pelo Ministério da Saúde.

O imunizante está na ultima fase de testes (3 fase – onde é vacina em grande escala) e já tem previsão de distribuição no Brasil. O governo de São Paulo firmou acordo para a compra de 46 milhões de doses e para a transferência de tecnologia para o Instituto Butantan.

Lote de insumos chega em São Paulo

Nesta quinta-feira, 3 de dezembro,  um lote com 600 litros de matéria-prima da vacina Coronavac, chegou a São Paulo. A  chegada do material foi acompanhada pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB) esteve no Aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, ao lado do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e do secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn.

“Viemos receber aqui mais um lote da vacina CoronaVac, da vacina do Butantan, a vacina que vai salvar a vida de milhões brasileiros. Hoje recebemos insumos para 1 milhão de doses da vacina. Somados aos 20 mil que já recebemos, agora temos 1 milhão e 120 mil doses da vacina”, afirmou Doria ao G1.