Covid-19: Rússia cria vacina nasal como alternativa à Sputnik V e pretende registrá-la em 2022

Um dos principais benefícios do imunizante intranasal é a quase ausência de possíveis efeitos colaterais. Ainda, os pesquisadores planejam que a vacina nasal seja administrada em duas doses, mas também não descartam que ela possa ser dada em dose única

Resumo da Notícia

  • Um Instituto na Rússia chamado Instituto Gamaleya, está desenvolvendo alternativa à vacina Sputnik V, que é uma vacina nasal
  • O diretor do Centro de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia desse Instituto, Alexander Ginzburg, comenta que espera registrar a nova iniciativa em 2022
  • Mas claro, isso se os ensaios clínicos forem bem-sucedidos

Um Instituto na Rússia chamado Instituto Gamaleya, está desenvolvendo alternativa à vacina Sputnik V, que é uma vacina nasal. O diretor do Centro de Pesquisa em Epidemiologia e Microbiologia desse Instituto, Alexander Ginzburg, comenta que espera registrar a nova iniciativa em 2022 se os ensaios clínicos forem bem-sucedidos.

-Publicidade-

“O centro está realizando trabalhos em diversas áreas de criação e aprimoramento das vacinas contra covid-19. Uma das iniciativas é fazer a vacina nasal. No momento, estão sendo feitos ensaios pré-clínicos dessa vacina. Planejamos começar testes clínicos no final deste ano ou no início de 2022, com registro planejado para 2022 conforme os resultados dos testes”, disse.

(Foto: Reprodução/ CNN)

11º Seminário Internacional Pais&Filhos – A Sua Realidade

Está chegando! O 11º Seminário Internacional Pais&Filhos vai acontecer no dia 1 de junho, com oito horas seguidas de live, em formato completamente online e grátis. E tem mais: você pode participar dos sorteios e ganhar prêmios incríveis. Para se inscrever para os sorteios, ver a programação completa e assistir ao Seminário no dia, clique aqui!

Segundo Ginzburg, um dos principais benefícios da vacina intranasal é a quase ausência de possíveis efeitos colaterais. Ainda, os pesquisadores planejam que a vacina nasal seja administrada em duas doses, mas também não descartam que ela possa ser dada em dose única.