Covid, gripe ou resfriado: saiba diferenciar os sintomas de cada doença e como se proteger

Com a chegada do outono e das temperaturas mais baixas em todo o Brasil, cuidar da saúde não está fácil nos últimos tempos. É importante saber as principais diferenças entre as três doenças e o que você deve fazer caso suspeite que está com alguma delas

Resumo da Notícia

  • Em tempos de outono e inverno, é importante saber as principais diferenças entre a covid-19, gripe ou resfriado, e o que você deve fazer caso suspeite que está com alguma delas
  • As três doenças são causadas por vírus e transmitidas da mesma forma: por gotículas de secreções respiratórias de uma pessoa infectada
  • Mas os agentes causadores são distintos. A forma que o quadro evolui também é uma boa forma para diferenciar cada uma das doenças

É gripe, covid-19 ou resfriado? Essa é a pergunta que não quer calar. Com a chegada do outono e das temperaturas mais baixas em todo o Brasil, cuidar da saúde não está fácil nos últimos tempos e os sintomas similares acabam deixando toda a família confusa. Por isso, é importante saber as principais diferenças entre as três doenças e o que você deve fazer caso suspeite que está com alguma delas.

-Publicidade-
A forma que o quadro evolui também é uma boa forma para diferenciar cada uma das doenças (Foto: Getty Images)

Qual a diferença entre gripe, resfriado e covid-19?

As três doenças são causadas por vírus e transmitidas da mesma forma: por gotículas de secreções respiratórias de uma pessoa infectada. Mas os agentes causadores são distintos: a gripe é provocada pelos vírus da família influenza, o resfriado chega por meio dos rinovírus, adenovírus, parainfluenza e outros, já a covid-19 é causada pelo Sars-CoV-2, da família dos coronavírus.

A forma que o quadro evolui também é uma boa forma para diferenciar cada uma das doenças:

  • Gripe: surge de um dia para outro com sintomas fortes, como febre alta e intenso mal-estar.
  • Resfriado: tem evolução lenta com sintomas são mais leves, como febre baixa. Costuma melhorar em poucos dias.
  • Covid-19: costuma ter evolução gradual, com quadro agravado após o 8º dia, quando há complicações. Outro diferencial importante é a falta de paladar, muito comum em pessoas com covid-19, mas rara nos demais casos.
A maioria das doenças são relacionadas a síndromes respiratórias agudas graves
Gripe, resfriado e covid-19 são causados por vírus e transmitidos da mesma forma (Foto: Getty Images)

Quais são os sintomas mais comuns dessas doenças?

Os mais comuns são dor de garganta, tosse, mal-estar, dores no corpo e cansaço. Nem sempre esses sintomas surgem em todos os quadros, mas são os mais difíceis de diferenciar no início da infecção.

Em relação à covid-19, os sintomas mais comuns são febre, cansaço e tosse seca. Algumas pessoas têm dores no corpo, congestão nasal, coriza, dor de garganta ou diarreia. Uma em cada seis pessoas desenvolve dificuldade para respirar. Também existem pessoas que não desenvolvem sintoma nenhum.

Como os sintomas do coronavírus podem ser muito semelhantes aos da gripe e resfriados, é importante saber o histórico de onde a pessoa esteve nos últimos 15 dias antes de os sintomas surgirem, além de ficar atento para as diferenças entre os sinais das três doenças:

SintomasCoronavírusResfriadoGripe
FebreComumRaroComum
TosseComum, normalmente secaModeradaComum, normalmente seca
EspirrosRaroComumRaro
Dor no corpoÀs vezesComumComum
Dor de cabeçaÀs vezesRaroComum
Dor de gargantaÀs vezesComumÀs vezes
Dificuldade para respirarÀs vezesRaroRaro
Coriza ou nariz escorrendoRaroComumÀs vezes

 

(Fonte: OMS/Ministério da Saúde)

Quando é a hora de ir ao hospital?

Idosos e pessoas com doenças de saúde como pressão alta, diabetes e doenças cardiovasculares têm mais chance de desenvolver um quadro grave da doença. Crianças e pacientes com baixa imunidade também podem apresentar manifestações mais graves.

São Paulo retira a obrigatoriedade do uso de máscaras em ambientes internos
O uso de máscaras é recomendado para reduzir o risco de infecção (Foto: Getty Images)

Especialistas recomendam que pessoas com quadros leves fiquem em casa com ​remédios para os sintomas, hidratação e repouso. Nesses momentos, a telemedicina é uma boa alternativa, já que evita que você tenha que se deslocar. Mas se perceber um agravamento do quadro ou você apresente falta de ar progressiva, tosse intensa, catarro com pus ou febre alta com calafrios, é preciso ir a um hospital. Esses são sinais de infecção grave. Em caso de dúvida, consulte um médico para saber sobre os próximos passos.

Como prevenir o coronavírus

A transmissão do coronavírus é feita através da mucosa oral, do nariz e dos olhos. Por isso, os especialistas recomendam os mesmos cuidados tomados com doenças respiratórias para evitar o contágio pelo vírus: cobrir a boca com a manga da roupa ou braço em caso de tosses e espirros, uso de máscaras e higiene das mãos.

Confira mais dicas da Sociedade Brasileira de Infectologia para reduzir o risco de infecção:

  • Evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente e antes de se alimentar;
  • Usar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca ao espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar nas mucosas dos olhos;
  • Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Sono em dia: criar uma rotina e respeitar o corpo é fundamental para fortalecer o organismo.