Criança com problema grave na coluna desafia laudo médico e o resultado é surpreendente

Lacey Grace foi diagnosticada com espinha bífida ainda na barriga e médicos não criaram tantas expectativas positivas para os pais. Hoje com 1 ano e 7 meses a garota está aprendendo a andar

Resumo da Notícia

  • Michelle descobriu que a filha tinha espinha bífida no exame de 20 semanas de gestação
  • O casal não quis interromper a gravidez
  • A mulher se submeteu a cirurgia da filha com ela ainda no útero
  • A criança hoje tem 1 ano e 7 meses e está aprendendo a andar

Lacey Grace Bower é uma criança que tem espinha bífida e quando os médicos descobriram, os pais foram questionados sobre possibilidades de interromper a gravidez, porém eles não quiseram. Essa doença afeta a coluna e médicos disseram que a criança não conseguiria usar as pernas corretamente. A garota foi operada nas costas ainda no útero da mãe, mas mesmo assim os pais sempre foram orientados a não criar tantas expectativas.

-Publicidade-

A menina tem 1 ano e 7 meses e mesmo os médicos dizendo que a garota não conseguiria andar, ela está começando a se locomover sem ajuda dos pais e aprendendo a utilizar a cadeira de rodas. Michelle é a mãe de Lacey e ela descobriu o diagnóstico depois de realizar o exame de 20 semanas de gestação. Um dia antes, o casal descobriu que iria ser uma menina, e era o sonho deles, mas após o exame com o laudo da criança, a mãe disse que eles foram do “mais alto para o mais baixo” em menos de 24 horas.

Lacey foi levada para UTI após cesárea
Lacey foi levada para UTI após cesárea (Foto: Reprodução / Michelle Bower/SWNS)

Depois de não aceitarem perder a filha, Michelle e o esposo decidiram realizar a cirurgia dentro do útero da mãe para tentar consertar a coluna da menina. Michelle relatou: “O resto da gravidez foi com muito medo e incerteza. Era difícil somente gostar de estar grávida”. Ela também contou que a cirurgia foi a pior experiência da vida dela. O procedimento durou certas de 3 horas e meia e Lacey já pesava 1,8 kilos.

Os pais de Lacey não quiseram interromper a gravidez
Os pais de Lacey não quiseram interromper a gravidez (Foto: Reprodução / Michelle Bower/SWNS)

A menina nasceu em 20 de julho de 2020 e foi levada para UTI após o nascimento. Michelle conta que a primeira vez que viu a filha, foi quando ela estava tecendo oxigênio, dentro de uma sala de parto. Após, Lacey conseguiu mexer o dedão do pé e os tornozelos mas para se alimentar sozinha foi necessário uma espera de 18 dias. Nos 3 primeiros meses ela foi monitorada pelo menos 3 vezes por semana, mas agora com 1 ano e 7 meses, já está falando e aprendendo a andar.

A menina está parcialmente paralisada da cintura para baixo, então ainda é necessário a ajuda dos pais para algumas tarefas. Mas Lacey já consegue sentar, subir nos lugares e abraçar seus pais.