Criança de 11 anos tem suspeita de hepatite “misteriosa” no Rio de Janeiro

A criança deu entrada no hospital no dia 1º de junho e desde então segue em análise e a Secretaria da Saúde disse ao portal G1 que ainda não se sabe os resultados dos exames da criança

Resumo da Notícia

  • Criança de 11 anos tem suspeita de hepatite "misteriosa" no Rio de Janeiro
  • A criança deu entrada no hospital no dia 1º de junho e desde então segue em análise
  • A Secretaria da Saúde disse que ainda não se sabe os resultados dos exames da criança

Criança de 11 anos que seguia internada desde quarta-feira, 1° de junho, está com suspeita de hepatite aguda. Ela foi transferida no sábado, 4 de junho, do hospital Ferreira Machado, em Campos dos Goytacazes, para o Hospital da Criança, no Rio de Janeiro.

-Publicidade-

A ambulância que levou ela, estava com equipamentos de UTI. Segundo a Secretaria da Saúde do município fluminense para o portal G1, a criança deu entrada no hospital com sintomas não especificadas no dia 1° deste mês.

Ainda, segundo a secretaria, o protocolo emitido pela Secretaria de Saúde do estado para enquadrar o quadro clínico como suspeito foi realizado e ficou em análise.

Entre as infecções virais, a hepatite A é a mais comum em crianças. No geral, os sintomas desse quadro costumam a ser limitados e tendem a ser leves e moderados (Foto: reprodução / Getty Images)

A paciente foi levada para o Lacen e para a Fiocruz, mas ainda não foi informado o resultado do exame e nem a divulgação do mesmo.

Casos de hepatite “misteriosa” pelo mundo

A maioria dos infectados com a ‘hepatite misteriosa’ apresentam febre, icterícia, vômito, diarreia, dor abdominal, urina escura e em alguns casos, branca (se a criança é saudável). Os sintomas seriam de uma hepatite já conhecida, se não fosse por dois pontos, o motivo e a não informação sobre o vírus, pois em nenhum dos casos não são os vírus da hepatite A, B, C, D e E e nem casos de hepatite por intoxicação e medicamentos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já refrisaria 429 casos possíveis da doença em 22 países, e dentre esses números, 26 crianças precisam de um transplante de fígado. Uma hipótese da comunidade médica é a relação entre uma família de vírus chamada adenovírus.

A maioria das crianças registradas com hepatite tem menos de 10 anos
A maioria das crianças registradas com hepatite tem menos de 10 anos (Foto: Getty Images)

Também foi descartada a relação da doença com a vacinação contra a Covid-19, segundo a OMS. Inclusive, na maioria dos casos as crianças contaminadas pela ‘hepatite misteriosa’ não foram vacinadas.