Criança de 3 anos com Covid-19 não resiste esperando por leito em UTI

Bernardo José Rivera deu entrada no Pronto-Socorro ao apresentar sintomas do novo coronavírus na cidade de Alumínio, no interior de São Paulo

Resumo da Notícia

  • Bernardo José Rivera de três anos, não resistiu após ter complicações pela covid-19
  • O menino esperava uma vaga na UTI para tratamento da doença em Alumínio, no interior de São Paulo
  • A criança começou a apresentar sintomas do vírus e foi internado no Pronto-Socorro mas não resistiu no dia seguinte

Um menino de três anos, não resistiu após ter complicações pela covid-19, na madrugada desta quarta-feira, 10 de março. Bernardo José Rivera esperava uma vaga na UTI para tratamento da doença em Alumínio, cidade a 82 km de São Paulo.

-Publicidade-
Criança de 3 anos não resiste após ser infectado por covid-19 e aguardar vaga em UTI (Foto: Getty Images)

A família da criança disse que Bernardo tinha a saúde debilitada devido a sequelas de um acidente que aconteceu em 17 setembro de 2020, quando o menino caiu na piscina da própria residência e ficou três meses internado em coma no hospital.

Atualmente a criança tinha uma traqueostomia para ajudá-lo a respirar. “Ele tinha uma saúde frágil por causa do acidente, mas vinha se recuperando muito bem. Estava forte, fazendo fisioterapia e melhorando dia a dia, mas sabíamos que qualquer infecção poderia ser difícil para ele”, disse Daiane Freitas Rivera, irmã de Bernardo á UOL.

-Publicidade-

O menino testou positivo para a covid-19 na quinta-feira (4) da semana passada. Na manhã de terça-feira, 9 de março, Bernardo começou a apresentar sintomas do vírus e foi internado no Pronto-Socorro da cidade, mas não resistiu no dia seguinte.

A irmã do menino ressaltou que a família seguia as regras de precaução do coronavírus. “Tomamos todos os cuidados possíveis, mas essa doença entrou de forma repentina na nossa família. Ninguém entrava em casa com sapatos, todos tomávamos banho antes de ingressar na casa, não recebíamos visitas, mas infelizmente nada adiantou”, disse Daiane.

Ela ainda disse que o irmão foi forte, apesar das dificuldades. “O Bernardo foi um guerreiro, foi muito forte e nunca desistiu da vida”, acrescenta a irmã. A mãe e o pai de Bernardo também testaram positivo para o vírus, além de outros dois familiares.