Criança de 5 anos passa mal após fumar cigarro eletrônico dos pais

O pai do menino está exigindo restrições mais rígidas de cigarros eletrônicos, para serem comercializados sem desenhos cativantes, para aumentar a proteção infantil

Resumo da Notícia

  • Criança passou mal após usar cigarro eletrônico na escola
  • O colega havia levado à unidade sem saber o que se tratava
  • O pai do menino está tomando algumas medidas para que casos assim não aconteçam mais

Um pai ficou furioso após o filho de 5 anos parar ficar internado no hospital por fumar cigarro eletrônico com o colega na escola. O amigo havia levado um “vape” com sabor de fruta de sua mãe e havia pedido para que seu filho experimentasse.

-Publicidade-

“Outra criança pegou o vape de sua mãe em casa, trouxe para o pátio da escola e pediu que eles fossem até os arbustos e chupassem isso, tem gosto de uva”, disse o pai ao 7NEWS.

Criança de 5 anos vai para o hospital após fumar cigarro eletrônico com o colega na escola
Criança de 5 anos vai para o hospital após fumar cigarro eletrônico com o colega na escola (Foto: Getty Images)

Três semanas após o incidente, ele começou a tossir e vomitar. “Ele não conseguia parar de tossir a ponto de não estar mais respirando”, continuou ele. “Não tive escolha a não ser chamar uma ambulância”, acrescentou.

Após o ocorrido, Steven está exigindo restrições mais rígidas de cigarros eletrônicos, que geralmente são comercializados com desenhos, frutas e linhas cativantes. Ele quer que esse tipo de marketing seja ilegal e pede uma melhor proteção infantil nos dispositivos.

Steven pagou quase US $ 3.500 para analisar os vapes em um laboratório, com os resultados preliminares revelando pelo menos dezesseis produtos químicos, incluindo a nicotina. “Não consigo abrir uma garrafa de Panadol sem força, como você bem sabe, mas uma criança pode pegar um desses dispositivos que contém nicotina”, concluiu.