Criança de apenas 1 ano morre por síndrome respiratória grave no AC

Segundo reportagem do g1, a vítima chegou ao pronto-socorro com as pupilas dilatadas

Resumo da Notícia

  • Uma criança de apenas 1 ano morreu por síndrome respiratória grave
  • O caso aconteceu no estado do Acre
  • A criança faleceu durante a última segunda-feira, 13 de junho

Conforme apuração do g1, uma criança de apenas 1 anos faleceu por síndrome respiratória grave, durante a última segunda-feira, 13 de junho – no estado do Acre. Ainda de acordo com o portal jornalístico, a região vem enfrentando um crescente número de internações de crianças por conta da mesma doença. Agora, são dez óbitos de crianças em menos de dois meses.

-Publicidade-

A vítima deu entrada na segunda-feira, 13 de junho e, infelizmente, faleceu no mesmo dia. No entanto, a Secretaria de Saúde do Acre (Sasacre) confirmou ao jornal apenas no dia 14 de junho, terça-feira, o óbito em questão.

A morte da criança foi causada por conta do choque séptico refratário por pneumonia. A mesma deu entrada no pronto-socorro de Rio Branco. Porém, foi transferida ao Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Acre (Into-AC). “Chegando lá já com pupilar dilatadas e em para”, disse a nota da Secretaria, de acordo com o g1.

Outro caso: bebê morreu em UTI pediátrica, por agravamento de síndrome respiratória

Ayla Eloá, de oito meses, ficou intubada por 14 dias, mas não resistiu. A mãe da menina, Yngrid Conceição, contou ao jornal Folha de Pernambuco, que ao perceber os primeiros sintomas, levou a filha para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Peixinhos, em Olinda. Lá,  os médicos a diagnosticaram com pneumonia e recomendaram que ela fosse atendida por uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Por esse motivo, a menina foi encaminhada para o Hospital Barão de Lucena, localizado na Zona Oeste do Recife, onde esperou durante três dias por um leito pediátrico. Segundo a mãe, neste hospital a criança teve convulsões, dores abdominais e diante do agravamento teve a necessidade de ser intubada. Ainda na busca de um leito precisou ser transferida novamente, dessa vez para o Hospital Brites de Albuquerque, em Olinda.

A criança esperou por três dias uma vaga na UTI
A criança esperou por três dias uma vaga na UTI (Foto: Reprodução/ Instagram/@justicaporayllaeloa)

Yngrid disse ainda que, no Hospital Brites de Albuquerque, Eloá ficou intubada por 14 dias, apresentou melhora e no dia primeiro de junho morreu.

Em nota, ao Jornal Folha de Pernambuco, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE),  lamenta o falecimento da paciente e se solidariza com os familiares nesse momento de dor. Esclarece, ainda, que a bebê foi admitida na UTI Pediátrica do Hospital Brites de Albuquerque, no dia 14 de maio. Desde então, vinha recebendo todos os cuidados necessários ao caso. “Com histórico de febre e tosse, e posterior evolução para insuficiência respiratória, a bebê precisou ser intubada e apresentou boa resposta aos primeiros procedimentos, no entanto, permaneceu em estado grave. E, infelizmente, no dia 1º de junho, teve seu quadro agravado, sendo registrado o óbito.” Leia aqui a matéria completa.