Criança de apenas 12 anos é sequestrada e morta após sair para comprar doces: “Tem um monstro à solta”

A criança de 12 anos saiu para comprar doces e refrigerante em um comércio local, porém, desapareceu antes mesmo de chegar em casa.

Resumo da Notícia

  • A criança desapareceu após sair para comprar doces e refrigerante em um comercio local
  • O corpo da menina só foi encontrado 3 dias depois do desaparecimento
  • A família prestou depoimentos à Polícia Civil para ajudar nas investigações

Lara, criança de 12 anos saiu para comprar doces e refrigerante em uma mercearia localizada próximo da residência, na última quarta-feira, 16 de março. No entanto, desapareceu antes mesmo de chegar em casa. O corpo da menina só foi encontrado neste sábado, 19 de março, em um matagal localizado na divisa da cidade de Francisco Morato.

-Publicidade-

Segundo a perícia criminal, a garota foi morta após levar graves pancadas na cabeça, desencadeando em um falecimento por traumatismo cranioencefálico. Atualmente a Polícia Civil faz buscas pelo bairro onde a família mora, em Campo Limpo Paulista. A única pistas que os policiais têm, é de um carro prata que foi visto pelas imagens de segurança, próximo ao local onde Lara desapareceu.

Em entrevista dedicada ao portal R7, o Reginaldo de Oliveira, pai da criança, disse que deseja justiça pelo assassinato da filha. “Quero que encontrem esse monstro. Eu não vou sossegar enquanto não fizer justiça. Porque era um anjinho, uma criança indefesa”, falou.

A menina foi encontrada apenas 3 dias depois de ter desaparecido após ir ao comércio local (Foto: Reprodução/Arquivo pessoal)

Já a mãe, Luana Aparecida Nascimento, lamenta pela brutalidade que fizeram com a sua filha. “O pior momento já passei: enterrei minha filha sem poder ver o rosto dela. Tem um monstro à solta, então as minhas forças vão ser todos os dias renovadas até que eu encontre quem fez isso com a minha filha”, disse

Outros depoimentos constatam como a Lara era uma boa garota e muito querida por todos da região. A Renata, vizinha da família, falou que a menina não dava confiança para pessoas estranha. “Era meiga, boazinha, tranquila. Bem criança mesmo, não tinha nenhuma malícia. Vinha bastante aqui conversar comigo sobre maquiagens, unha. Mas não falava com pessoas estranhas.”, disse a Renata.

Durante a tarde desta terça-feira, 22 de março, a mãe de Lara prestou depoimento para ajudar nas investigações policias. O pai da criança fez o mesmo no dia seguinte, 23 de março.